TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
domingo, 26 de junho de 2022 Campo Grande/MS
GOV ENERGIA ZERO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
Campo Grande

Prefeito admite bancar passe do estudante e tirar ISS para evitar greve e aumento de passagem

Prefeito Marquinhos Trad diz que prefeitura pretende tirar R$ 800 mil ao mês dos cofres para pagar gratuidades ao Consórcio Guaicurus

04 janeiro 2022 - 13h00Por Rayani Santa Cruz

Diante da ameaça de greve dos motoristas de transporte público de Campo Grande e risco de aumentar o preço da passagem de ônibus, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) propõe bancar o custeio integral do passe dos estudantes da Reme (Rede Municipal de Ensino), pessoas com deficiência e retirar os 5% cobrado com ISS (Imposto Sobre Serviço) do Consórcio Guaicurus. O custo mensal seria de R$ 800 mil ao mês aos cofres públicos.

O prefeito disse, nesta terça-feira (4), que o Executivo também está disposto a bancar o transporte de renais crônicos e pessoas com câncer, que possuem direito a gratuidade. 

Para Marquinhos Trad, o impasse deve ser resolvido através de diálogo e com a presença do Ministério Público. Ele afirma que tenta uma solução com a empresa e que deseja enviar projeto de lei  para poder custear os transportes e retirar o tributo para a Câmara de Vereadores a fim de evitar aumento nas tarifas.

“Tudo que for possível fazer para não elevar as tarifas e não ter a greve, nós vamos fazer. Agora, não depende só da Prefeitura de Campo Grande. Não é culpa da prefeitura. Se o [Governo] Estado fizer como outros estados e isentar o ICMS apenas para o transporte coletivo, já fica decidida a questão”, disse Marquinhos, que também deu a solução de o Governo do Estado pagar o transporte dos alunos da rede Estadual de Ensino para baixar a tarifa na Capital.

Segundo o prefeito Marquinhos Trad, o valor aproximado do passe do estudante do município tem a média de R$ 300 mil ao mês. A cobrança do ISS é de cerca de R$ 500 mil, e com a retirada da cobrança esse valor deixaria de entrar para os cofres. 

O prefeito lembrou também que a situação é complicada e que Campo Grande “é a única capital do país onde o estudante não paga 100% do custo da tarifa”.