Menu
terça, 24 de novembro de 2020
Cidade Morena

No enterro da mãe, filha descobre que corpo do pai sumiu em Campo Grande

Duas mulheres desconhecidas estavam enterradas no local destinado à família

12 agosto 2020 - 07h00Por Thiago de Souza

Além da dor de enterrar a mãe, morta por covid-19, a técnica de enfermagem Maria de Fátima da Silva Santana sofreu outro desgosto: descobriu que os restos mortais do pai ‘’desapareceram’’ do cemitério Memorial Park, no sábado (8), em Campo Grande. 

Conforme o relato, a família havia contratado um plano pós vida para enterrar o pai e a mãe no mesmo jazigo, que tem duas gavetas. No doloroso momento de colocar o caixão da mãe na gaveta, ao lado da do pai, foi descoberto que ela estava ocupada. 

Ainda segundo a denúncia, nesse momento, a empresa funerária sugeriu que ela pagasse para exumar o corpo do pai e colocar o da mãe. A surpresa veio com a abertura dos caixões das duas gavetas do jazigo, no quais os restos mortais eram de duas mulheres que a família sequer conhece. Diante da situação, a mãe dela foi enterrada em outro jazigo.

A técnica de enfermagem ficou indignada e cobrou respostas da empresa, mas até agora não houve resposta. 

"... eles não sabem se foi exumado, se foi cremado... foi um rolo. Minha mãe era para ser sepultada às 9h, foi sepultada próximo ao meio-dia’’, relatou Santana. 

Ainda abalada, Santana sugere que algo mais grave aconteceu com os restos do pai. 

"A única explicação que a gente achou foi que eles estão retirando o corpo das pessoas mais antigas ali, com nove, dez anos [de falecimento] e estão revendendo novamente as gavetas... porque não tem explicação isso aí’’, acusou a filha. 

Sepultador não achou restos mortais do pai de Santana. (Foto: Repórter Top)

A empresa pediu três dias para dar justificativas de onde está os restos mortais do pai. 

"Imagina você enterrar uma pessoa e descobrir que os ossos da outra pessoa sumiram? É um osso, tudo bem, mas é de um ente querido da gente...’’, lamentou novamente. 

Maria de Fátima lembra que o cemitério não poderia exumar o corpo do pai sem a autorização da família. Ela destaca, ainda, que vai pedir exames de DNA e que quer encontrar os parentes das mulheres enterradas nas gavetas que deveriam estar o pai dela. 

A empresa não retornou as tentativas de contato, mas em uma ata redigida no dia do sepultamento, o cemitério reconhece que houve o desaparecimento dos restos mortais.

O espaço fica aberto para posicionamento do Memorial Park.