Menu
sábado, 19 de setembro de 2020
Cidade Morena

Sem atrasos, 2ª etapa de concurso de professor acontece na Capital

Apenas um inscrito chegou no momento em que o portão estava sendo fechado, às 14h, mas conseguiu entrar

17 fevereiro 2019 - 15h00Por Nathalia Pelzl

Sem atrasados, ou quase nenhum, assim foi fechamento dos portões, 2ª etapa do concurso de professores, neste domingo (17), em Campo Grande, com  apenas 75 aprovados e uma taxa de reprovação de 99,5%, o concurso está sendo realizado na Capital e em Dourados. Apenas um inscrito chegou no momento do fechamento do portão, às 14h, mas conseguiu entrar.  

Segundo o secretário da SAD (Secretária de Administração), Roberto Hashioka, além da prova discursiva dos professores, está sendo realizado também as provas para preenchimento de 5000 vagas do setor administrativo, sendo  178 vagas agentes de limpeza, 168 agentes de merenda  e 154 para assistente de atividades educacionais.  

Sobre a taxa de reprovação dos professores na primeira etapa do concurso, Hashioka acredita que a nota de corte tenha sido o principal problema.

“A dificuldade que foi na primeira fase, foi a nota de corte que exigiu bastante, pois determinava 60% de acertos nas questões das três provas, a prova de língua portuguesa que tinha 15 questões, acertadas no mínimo   9, a  prova de conhecimentos metodológicos e pedagógicos era 25 questões que precisaria ser acertado no mínimo 15, e as matérias especificas 40 questões, sendo  necessário acertar  no mínimo 24 questões, isso que determinou a  dificuldade aprovação na primeira fase ”, disse explicando o índice.

Questionado sobre o posicionamento do governo e as medidas que serão tomadas, o secretário afirmou que o edital precisa ser respeitado.  

“Não tem como o governo fazer nada para mudar, temos que respeitar o edital, a intenção é que homologado esse concurso, iniciarmos os procedimentos para um novo concurso tendo em vista que são mil vagas para professor, nós temos a expectativa hoje de atender no máximo 75 se todos forem aprovados na segunda fase”, comenta.

O secretário reforça que novos concursos estão em planejamento, mas que é preciso analisar devido à dificuldade e os gastos com pessoal. Já sobre o PDV (Programa Especial de Incentivo ao Desligamento Voluntário), ele reforça que nesta semana serão realizadas reuniões, e que uma minuta do decreto vai ser enviada para apreciação do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e que, caso seja aprovado irá abranger a todos os servidores.

Prova

O concurso teve taxa de inscrição de R$ 216 e tem segunda fase prevista para o dia 16 de fevereiro. O Governo do Estado e a empresa Funrio, que teria recebido R$ 5,7 milhões pela elaboração da prova, ainda não se posicionaram sobre o assunto até o momento.

Entre os 75 aprovados, foram oito de educação física, dois de filosofia, um de física, seis de geografia, 15 de história, 24 de português, três de matemática, um de química, sete de sociologia, um de artes.

Protestos

Diversos participantes alegaram desorganização e injustiça na elaboração e aplicação de concurso público da Rede Estadual de Ensino, devido a isso, foi feito protesto em frente à SAD (Secretaria de Administração), no Parque dos Poderes, em Campo Grande, na intenção de que o concurso fosse cancelado.

(Foto: Wesley Ortiz)

De maneira geral, os manifestantes alegaram ter faltado transparência para justificar o baixo índice de aprovação, um total de 75 pessoas entre 14.730 inscritos. Eram 80 questões no certame, que exigia mínimo de 60% de acerto em cada área, mas as reclamações sobre o nível de dificuldade e até mesmo lógica nas perguntas e respostas foram muitas.

Leia Também

Prefeito em MS ameaça dar tiro em bolsonaristas
Polícia
Prefeito em MS ameaça dar tiro em bolsonaristas
Chuva pode dar as caras já neste sábado e no domingo em Campo Grande
Cidade Morena
Chuva pode dar as caras já neste sábado e no domingo em Campo Grande
Brasil tem 739 mortes pela covid-19 em 24 horas, diz Ministério da Saúde
Geral
Brasil tem 739 mortes pela covid-19 em 24 horas, diz Ministério da Saúde
Saudade é tanta, que um ano após perder o filho, Thayelle ainda escuta Miguel chamar
Entrevistas
Saudade é tanta, que um ano após perder o filho, Thayelle ainda escuta Miguel chamar