Menu
Busca domingo, 05 de julho de 2020
ALMS
Cidades

Acordo fechado no TRT beneficia mais de 7 mil trabalhadores de farmácias em MS

O acordo prevê um reajuste salarial de 10% e contempla cerca de mil estabelecimentos comerciais

07 setembro 2016 - 10h40Por TRT

Os sindicatos que representam os donos e trabalhadores de farmácias de Mato Grosso do Sul fecharam um acordo, na tarde de hoje (6), numa audiência de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região, com a mediação do Coordenador do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos, Desembargador João de Deus Gomes de Souza. O magistrado elogiou as partes pela disposição à negociação e destacou que a conciliação é a forma mais rápida de resolver os conflitos trabalhistas.

A Convenção Coletiva de Trabalho fechada ontem à noite pelos sindicatos resolveu o processo na Justiça do Trabalho. O acordo, que prevê um reajuste salarial de 10%, contempla cerca de mil estabelecimentos comerciais e mais de 7 mil trabalhadores de farmácias, como vendedores, gerentes, operadores de caixa e estoquistas.

Segundo o Presidente do Sindicato dos Oficiais Práticos e Funcionários de Farmácia e Drogarias de Mato Grosso do Sul, Heitor Scarpellini Urunaga, a categoria esperava um pouco mais do acordo, mas precisou fazer concessões diante da crise na economia. "Além do reajuste de 10%, a nossa convenção também tem mais de 70 cláusulas que dizem respeito a questões sociais do trabalhador, então, o ganho não é apenas por meio do reajuste salarial, mas também tem as questões sociais que, querendo ou não, voltam para o trabalhador como forma financeira".

O Presidente do Sindicato dos Varejistas de Produtos Farmacêuticos de Mato Grosso do Sul, Roberto Martins Rosa, disse que a convenção coletiva foi fechada pensando nas dificuldades financeiras enfrentadas pelo comércio este ano e para manter os postos de trabalho. "Nós chegamos nesse acordo para que não complique nem para os funcionários, nem para os donos de farmácia. Ficou bom para todo mundo", avaliou o empresário.

Diante do acordo firmado entre as partes, o dissídio coletivo 0024196-84.2016.5.24.0000 foi extinto sem julgamento do mérito. A Convenção Coletiva de Trabalho será depositada no Ministério do Trabalho e Emprego.

Leia Também

Bebê vítima de mais-tratos tem ferimento na cabeça e é transferido para Campo Grande
Polícia
Bebê vítima de mais-tratos tem ferimento na cabeça e é transferido para Campo Grande
Político pode bloquear eleitor nas redes sociais? Deputados defendem medidas contra 'haters'
Política
Político pode bloquear eleitor nas redes sociais? Deputados defendem medidas contra 'haters'
Renato Feder rejeita convite para ser ministro da Educação
Política
Renato Feder rejeita convite para ser ministro da Educação
Identificado idoso morto em acidente em Dourados
Interior
Identificado idoso morto em acidente em Dourados