TJMS JUNHO 2024
FIEMS JUNHO

sexta, 21 de junho de 2024

Busca

sexta, 21 de junho de 2024

Link WhatsApp

Entre em nosso grupo

2

WhatsApp Top Mídia News
Cidades

11/05/2024 07:00

Ao menos 25 mil pessoas vivem áreas de risco ambiental em MS, segundo Governo Federal

Estas pessoas estão vivendo em áreas suscetíveis à ocorrência de deslizamentos, enxurradas e inundações no Estado

Ao menos 25 mil pessoas estão vivendo em áreas suscetíveis à ocorrência de deslizamentos, enxurradas e inundações em Mato Grosso do Sul. É o que afirma uma nota técnica elaborada pela Casa Civil do Governo Federal.

Segundo o órgão, um total de 29 cidades de Mato Grosso do Sul estão suscetíveis a desastres ocasionados por chuvas e, por isso, deveriam ser "priorizadas nas ações da União em gestão de riscos e desastres naturais". O documento foi feito pela Secretaria Especial de Articulação e Monitoramento da Casa Civil, em 2023, como parte dos estudos para o Novo PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

Destes 29 municípios listados, 22 estão sob risco de inundações e enxurradas e um total de sete cidades também podem apresentar ocorrências de deslizamentos de terra, afirma documento. O alerta atinge cidades em diferentes regiões de todo o estado, inclusive grandes cidades como Campo Grande, Três Lagoas, Corumbá e Dourados.

Junto ao alerta, a Casa Civil apontou o número de pessoas concentradas nas áreas mapeadas como de risco geo-hidrológico. Segundo relatório, ao menos 25 mil sul-mato-grossenses vivem em regiões de risco para desastre natural, no entanto, número pode ser ainda maior, visto que, alguns municípios listados não tiveram a relação de moradores em locais de perigo divulgados.

Entre as cidades listadas, Batayporã é a que chama maior atenção devido à proporção de moradores em áreas de risco em relação à população. Conforme estudo, 10.000 pessoas vivem sob a iminência de enxurrada e inundação. O município possui população estimada em 10.712 moradores, segundo o último censo do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), divulgado em 2022.

A nota ainda aponta municípios como Aquidauana, em que 2.650 pessoas vivem em risco de enxurradas e inundações; Corumbá, com 1.429 sob o perigo de deslizamentos, enxurradas e inundações e Ponta Porã, onde 1.710 moradores também podem sofrer com enxurradas e inundações.

Pesquisa Nacional

De caráter nacional, a pesquisa apontou 1.942 municípios brasileiros que estariam suscetíveis à ocorrência de deslizamentos, enxurradas e inundações. Dentre as cidades apontadas pelo estudo, estão 142 municípios do Rio Grande do Sul. Entre eles, cidades que estão no epicentro das inundações que atingiram o estado nos últimos dias, como Eldorado do Sul e a capital Porto Alegre.

Elaborado ainda com auxílio de outros ministérios, como Integração e Desenvolvimento Regional; Cidades; Meio Ambiente e Ciência e Tecnologia; o estudo atualizou uma lista de 2012 das cidades sob risco, segundo o site Metrópoles. Naquele ano, foram listados 821 municípios sob risco.

Para entrar na lista, a cidade teve de registrar óbito, ter mais de 900 desalojados e ter mais de 10 registros de desastres entre os anos de 1991 e 2022. Outro critério da Casa Civil é a cidade apresentar alta vulnerabilidade a inundações, segundo o "Atlas de Vulnerabilidade a Inundações da ANA" (2014).

A Secretaria de Estado da Casa Civil de Mato grosso do Sul foi procurada a respeito do estudo divulgado pelo Governo Federal e aguardamos retorno.

Loading

Carregando Comentários...

Veja também

Ver Mais notícias
AMIGOS DA CIDADE MORENA ABRIL NOVEMBRO