(67) 99826-0686
IPVA

Balanço de operação do Gaeco em Douradina resulta em prisão de duas pessoas

23 NOV 2013
Aline Oliveira
12h15min
Foto: Divulgação

O Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) divulgou ontem, o balanço da operação "Pactum Sceleris" iniciada na última quarta-feira (20), no município de Douradina. Foram ouvidas 13 pessoas entre elas, nove presos, quatro conduzidos e um informante que compareceu espontaneamente na Promotoria de Justiça.


Cabe destacar que durante os cumprimentos do mandados de busca e apreensão em Dourados foram efetuadas duas prisões em flagrante por posse ilegal de arma de fogo de investigados, contra os quais também foram cumpridos mandados de previsão preventiva.

 

Em Douradina (MS), foram efetuadas duas prisões em flagrante sendo uma por posse ilegal de arma de fogo e outra por comércio ilegal de arma de fogo e contrabando. No total, foram apreendidas sete armas de fogo e 1.372 munições de diversos calibres.

 

A ação civil pública encontra-se instruída com documentos colhidos em inquérito civil que tramitou na Promotoria de Justiça de Itaporã (MS), dentre os quais, relatório da CGU (Controladoria Geral da União) que aponta diversas irregularidades em licitações e contratações ocorridas na gestão da Prefeita anterior que atualmente ocupa o cargo de Chefe de Gabinete. Em razão disso, pediu-se o afastamento de Nair Branti, Paulo César Biagi Pires Osmir Marques Silva e Delazir Alvis Trindade. As ações ainda não foram recebidas formalmente pela Juíza de Direito em Substituição na Comarca de Itaporã.


Segundo a Promotora de Justiça do GAECO Claudia Loureiro Ocariz Almirão não há como quantificar o montante desviado dos cofres públicos até porque além do procedimento investigatório criminal que subsidiou a operação, há mais de 20 procedimentos cíveis, inquéritos civis e procedimentos preparatórios em trâmite na Promotoria de Justiça de Itaporã para apurar malversação de dinheiro público no município de Douradina.

 

Veja também