(67) 99826-0686
Camara Maio

Briga entre vizinhos resulta em multa para criador de galinhas

Desentendimento

4 FEV 2014
Schimene Weber e Marcelo Villalba
15h00min
Foto: Geovanni Gomes

Uma publicação de autuação feita pela Secretaria Municipal de Saúde Pública (SESAU) no Diário Oficial de Campo Grande desta terça-feira (04) chama a atenção pelas particularidades do caso: um infrator que ignorou inúmeras normas que garantem os padrões de uma vida saudável e de boa convivência com os vizinhos.

De acordo com a publicação, Arildo da Silva Ferreira, 43, que possui uma empresa de gessos morador do Jardim Centenário, criava galinhas em sua residência, gerando diversos incômodos aos vizinhos, principalmente pelo mau cheiro dos animais. Ele também mantinha em sua residência um cachorro com Leishmaniose, que não fazia o tratamento adequado recomendo pelo órgão ou a eutanásia animal.

Em sua defesa Arildo disse que os animais que ele criava, se procriaram, mas que nunca havia relatos de problemas por conta disso. Arildo informou a equipe do TopMídia News que houve uma briga com o vizinho José Laurindo Ferreira, 66 anos, que já vem de longa data, que isso estaria causando transtornos na sua vida.

Sem entrar muito em detalhes ele informou que José, conseguiu o terreno por intermédio dele, e que desde sempre o ajudava, e um certo dia o vizinho teria feito um buraco na parede de sua casa para vigiar suas filhas menores de idade.

Desde então os dois não se falam e a briga na vizinhança começou a ser constante, José cuida de um terreno e relatou que o local ficava cheio de ratos, para se ver livre ele acabou colocando veneno no terreno o que ocasionou na morte de várias galinhas de Arildo.

"Ele é problemático. A filha dele que é da igreja onde frequento veio em casa e disse que ele iria por veneno no terreno para acabar com os animais. Não quero confusão com ele, trabalho e passo maior parte do tempo fora de casa", comentou.

Os vizinhos ainda disseram que os animais que Arildo criava eram galos de briga e que viviam em gaiolas onde somente a cabeça dos animais era vista, questionado sobre a denúncia ele confirmou que existiam alguns galos de briga, mas que não eram dele. "Era de conhecido, eu os guardava,  tanto que o rapaz já os levou", comenta.  

A esposa de Arildo passa por problemas de saúdes sérios e por conta disso ele não pensa em pagar a multa que segundo ele é de R$400 reais.

Constantemente ele recebe ligação de alguém se passando por funcionário da Sesau, cobrando a multa. "Já não tenho mais os animais em casa, o pouco que possuo são quatro a cinco franguinhos no quintal. Não vejo problema nisso, o meu outro vizinho também cria porque só eu vou ser culpado", afirma.

Ainda conforme o registro do auto, os funcionários da SESAU foram até o local para realizar vistoria, mas encontraram resistência por parte do infrator. Arildo desacatou os funcionários e proferiu contra eles palavras de baixo calão, impedindo que as ações de limpeza e prevenção fossem concretizadas na residência.

Consta nos autos que Arildo responderá a um processo administrativo e, se condenado, poderá pagar uma multa de R$ 100 até R$ 15 mil, conforme prevê a legislação responsável. Ele poderá recorrer à sentença em até 15 dias, a contar da data que foi autuado, à Coordenadoria de Julgamento e Consultas.

Veja também