Menu
Busca domingo, 05 de julho de 2020
ALMS
Cidades

Cinco meses após incêndio, criança que teve 90% do corpo queimado precisa de ajuda

Mesmo tendo direito ao Loas, Pedro não recebe benefício; família passa por necessidades

06 junho 2019 - 19h00Por Nathalia Pelzl

A família do pequeno Pedro Henrique da Silva Pereira de Arruda, de 9 anos, que teve 90% do corpo queimado durante um incêndio em janeiro deste ano, na casa onde morava, na Vila do Polonês, em Campo Grande, precisa de ajuda.

A criança segue internada na Santa Casa da Capital e, devido a isso, os pais Zulema da Silva Pereira de Arruda e Reginaldo Pereira de Arruda, de 62 e 56 anos, não conseguem trabalhar.

Mesmo não podendo fazer esforço, já que teve um derrame e tuberculose, Reginaldo conta que está construindo aos poucos a nova casa da família, que atualmente vive de doações.

“Estamos revezando, quando sobra um tempo vou lá e faço um pouco da obra, com o material que ganhamos”.

Ele conta que, após o acidente, a rotina da família não foi mais a mesma, já que Pedro, que é autista, ainda está em tratamento. Reginaldo conta que, mesmo o filho tendo direito ao benefício do Loas (Lei Orgânica da Assistência Social), ainda não recebe.

“Estamos a um ano correndo atrás e até agora não conseguimos nada”, revela.

(Foto: Reprodução Facebook)

O incêndio

À época, Zulema da Silva Pereira de Arruda contou que o incêndio teria sido causado pelo outro filho, de 7 anos, que brincava com um isqueiro. Após tirar o item da mão da criança, ela foi costurar em um quarto da residência, momento em que o incêndio teve início. Pedro estava dormindo dentro da residência e gritou por socorro ao perceber o fogo.

“Quando eu corri para frente, o fogo já estava engolindo tudo. Começou na varanda o fogo, foi para cozinha e pegou a sala, onde o meu outro filho de oito anos estava dormindo. Um rapaz que trabalha ao lado da minha casa, eu não sei o nome dele, escutou meus gritos de socorro, abriu o portão e entrou. Mesmo com muito fogo, ele entrou na casa e conseguiu pegar o meu filho, que já estava com o corpo todo queimado”.

(Foto: André de Abreu)

Ajuda

Os interessados em ajudar a família de forma financeira,  com material de construção ou até mesmo mão de obra podem entrar em contato com o telefone (67) 9 9159-8512 ou fazer transferência para a agência 0017, conta:46285-8, poupança (013), Caixa Econômica Federal.

Leia Também

Após Pioneiros, é a vez da Filinto Müller ser recapeada em Campo Grande
Cidade Morena
Após Pioneiros, é a vez da Filinto Müller ser recapeada em Campo Grande
COVID-19: Brasil tem mais 37 mil casos e registra 1.091 novas mortes
Saúde
COVID-19: Brasil tem mais 37 mil casos e registra 1.091 novas mortes
Prefeitura confirma 3ª morte por Covid em Paranaíba
Saúde
Prefeitura confirma 3ª morte por Covid em Paranaíba
Deputado detona ação contra cloroquina: 'querem matar autorizado pelo Supremo'
Política
Deputado detona ação contra cloroquina: 'querem matar autorizado pelo Supremo'