TCE Novembro
TJMS DEZEMBRO
Menu
sexta, 03 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
CAMARA - vacinaçao
Cidades

Cresce uniões homoafetivas e cai casamentos de heterossexuais em MS

Estudo do IBGE, divulgado nesta quarta, fez comparativo entre os anos de 2015 a 2017

31 outubro 2018 - 19h00Por Celso Bejarano

Estudo estatístico de Registro Civil divulgado nesta quarta-feira (31) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) revela queda no número de casamentos envolvendo cônjuges masculino e feminino, entre os anos de 2015 a 2017, em Mato Grosso do Sul. Já as uniões implicando cônjuges masculinos, relações homoafetivas, numa proporção bem menor, neste mesmo período, dobraram.

De acordo com o levantamento, em 2017, foram registrados cerca de mil casamentos a menos que em 2015.

O IBGE informou que em 2015 foram anotados em MS 17.352 casamentos envolvendo cônjuges homens e mulheres. No ano seguinte, em 2016, as uniões subiram para 17.341.

Já ano passado, em 2017, 16.533 casais trocaram alianças.

Ainda conforme a pesquisa do IBGE, casamentos envolvendo cônjuges homens dobraram de 2015 até 2017, em MS. Em 2015, por exemplo, foram consignados 23 casamentos. Já em 2016, 32 uniões e, em 2017, 44 casos.

Levantamento do instituto indica ainda que em MS, em 2015 foram registrados 45 casamentos entre cônjuges femininos; em 2016, 74 e, ano passado, em 2017, 73.

Dados nacionais

Em 2017, o Brasil registrou 1.070.376 casamentos civis, com redução de 2,3% em relação a 2016. Os casamentos homoafetivos, no entanto, tiveram aumento de 10,0% entre 2016 e 2017, passando de 5.354 para 5.887 e representando 0,5% do total de casamentos registrados em 2017.

Ainda em relação a 2016, o número de registros de casamentos apresentou redução em todas as Grandes Regiões, variando de 3,1% no Sudeste a 0,1% no Sul. Entre as Unidades da Federação, 18 apresentaram queda, a maior delas no Ceará, com redução de 12,0%. Por outro lado, o Amapá teve aumento de 11,1% no número de casamentos registrados.

A taxa de nupcialidade legal (número de casamentos em relação à população de 15 anos ou mais de idade) foi de 6,6 casamentos para cada mil habitantes no Brasil, com as taxas mais altas no Sudeste (7,5‰) e Centro-Oeste (7,4‰).

Entre cônjuges solteiros de sexo diferentes, para o Brasil, os homens se uniram em média aos 30 anos de idade e, as mulheres, aos 28 anos. Para as uniões homoafetivas, a idade média foi de cerca de 34 anos para os homens, e 33 para as mulheres.