(67) 99826-0686
Origem - entregas

Aniversário: Dourados completa 78 anos em ritmo acelerado de desenvolvimento

Especial Aniversário

21 DEZ 2013
Aline Oliveira e Vanessa Ricarte
12h35min
Foto: Ademir Almeida

O município de Dourados, localizado na região sul de Mato Grosso do Sul completou no último dia 20 de dezembro, 78 anos de emancipação e carrega um histórico de progresso e desenvolvimento. O último censo do IBGE (2010) apontou que a população da cidade alcançou quase 208 mil habitantes, com projeção de chegar a 300 mil moradores no período de dez anos.

 

A cidade apresenta vocação para o agronegócio, porém, nos últimos anos está investindo maciçamente em tecnologia para grandes e pequenos produtores (metalmecânico), segmento sucroenergético, além de ter o status de cidade universitária, com funcionamento de cinco instituições de ensino superior, sendo duas públicas.

 

Panorama da região - Em entrevista ao TopMídia News, o mestrando em antropologia e professor substituto de gestão ambiental da UFGD, Keny Marques Lima, nos contou um pouco sobre a trajetória histórica da cidade e até acerca da manifestação cultural diante de um certo “bairrismo”, além do carinho latente pela cidade proveniente dos moradores da região de Dourados . “Mato Grosso do Sul tem o tamanho da Alemanha. Dourados teve que se desenvolver de forma muito peculiar, devido ao tamanho do estado. O povo douradense acabou sendo de muita pujança por conta desse fato.”

 

São 229 quilômetros que separam a Grande Dourados da Capital. A viagem dura cerca de 3 horas e meia. Para o pesquisador, o motivo pelo qual a cidade teve que se desenvolver rapidamente foi a necessidade da viabilização de atendimento médico, além do aquecimento no setor do comércio. “Há 15 ou 20 anos, as pessoas que moravam aqui na região precisavam ir à Campo Grande para buscar tratamento contra o câncer, por exemplo. Mesmo que Dourados não seja um exemplo de sucesso na saúde, acredito que este seja um caso crônico em todo o país. Porém, a cidade tornou-se universitária. Hoje as pessoas não precisam ir à Capital, pois encontram o que precisam aqui”, ressaltou.

 

Dourados região central - 1976 - foto: arquivo pessoal (opalass.com.br)

Hoje são aproximadamente 26 distritos que dependem da Grande Dourados para crescer. “Contando a população de Dourados juntamente com a de todas as suas cidades-satélites, a estatística chega quase ao número de Campo Grande.”

 

A UFGD (Universidade Estadual da Grande Dourados) hoje é considerada uma das universidades mais importantes do Brasil no que tange a pesquisa histórica regional. Dourados já conta com cursos de doutorado em história, geografia, entomologia e agronomia, o que contribui ainda mais para o entendimento e desenvolvimento da cidade.

 

Economia e investimentos – Na última década, Dourados cresceu 2,2% ao ano, em relação a população, com uma população de um milhão de pessoas em um raio de 150 quilômetros. Dito isto, se Mato grosso do Sul possui 2,5 milhões de habitantes, pelo menos metade reside na região.

 

A secretária municipal de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Neire Colmam destacou que os pontos fundamentais para o desenvolvimento da região foram: o crescimento econômico e as consequências no mercado tanto para empresários, quanto para a população. “O nosso empresário local hoje tem uma concorrência maior, então ele não compete só com as indústrias de outras regiões do país, e sim com indústrias da China, de outros países. Então temos um cenário que o obriga a se qualificar, se preparar, para ser competitivo, senão ele morre. E isso é uma realidade de todos os setores, tanto para os grandes empresários, quanto para o microempresário”.

 

Os microempreendedores representam 98% do cenário econômico do município. “Por isso um dos nossos focos prioritários é a questão da qualificação de mão de obra. O nosso empresário se preparando melhor, pode ter uma produção otimizada, um custo menor, e concorrer no mercado com empresas que vem de fora. E o pequeno empresário pode ter, por meio da qualificação, a oportunidade de crescer e lucrar, porque esse é o objetivo dele e também o nosso, que é justamente estimular isso a longo prazo”, apontou Neire.

 

(Com colaboração do site Dourados News)

Veja também