ALMS - RAMAL
Menu
Busca sábado, 11 de julho de 2020
ALMS
Cidades

Edição do Grito dos Excluídos será marcado pelo "Fora Temer" na Capital

Protesto é organizado por movimentos sociais e centrais sindicais

06 setembro 2016 - 18h00Por Thiago de Souza

O bordão "Fora Temer", entoado por militantes e simpatizantes de partidos de esquerda e contrários ao governo do presidente Michel Temer, estará presente na 22ª edição do Grito dos Excluídos, garante o presidente da CUT (Central Única dos Trabalhadores) em Mato Grosso do Sul, Genílson Duarte.  O ato será realizado após o desfile cívico, tradicionalmente realizado na rua 14 de Julho, em Campo Grande. 

Este será o primeiro protesto Fora Temer em Mato Grosso do Sul, após a deposição de Dilma Rousseff da presidência da República. "Nos outros dois que foram programados, choveu", lamenta o dirigente. 

Segundo a entidade diversos sindicatos filiados a central estarão presentes. Também movimentos sociais de luta pela terra como o MST e MCRLA, e grupos de defesa dos direitos de mulheres, negros e indígenas. 

"O objetivo é dialogar com a sociedade, mostrar o risco da perda de direitos. O maior deles é a reforma da previdência, que quer aposentar pessoas somente aos 70 anos, e igualar a idade para homens e mulheres", explica Duarte.  

Para este ano a CUT espera reunir mais que os 500 participantes de 2015, isso por conta dos últimos acontecimentos políticos como o impeachment de Dilma e a operação Lava Jato. Programado com bastante antecedência, o lema oficial do Grito dos Excluídos será “Este sistema é insuportável. Exclui, degrada, mata!”. 

Novidade

O presidente da CUT disse que os catadores de materiais recicláveis, que fizeram um protesto nesta quinta-feira (6), fechando a BR-262, no anel viário, saída para Sidrolândia, vão participar do Grito. "Eles disseram que se sentem mais excluídos do que qualquer um", comenta o sindicalista. 

Segurança 

Segundo o organizador, a mobilização Fora Temer dentro do Grito dos Excluídos não deve repetir cenas de violência entre manifestantes e a polícia nos grandes centros, principalmente em São Paulo. Ele acredita que tudo será tranquilo,  e relata que o único momento mais tento é quando o protesto chega próximo ao palanque das autoridades, momento em que a segurança é bastante reforçada.

Os movimentos sociais vão se concentrar na esquina da Avenida Mato Grosso com a Rua 14 de Julho, às 8 horas dessa quarta-feira. 

 

Leia Também

Ferramenta que reconhece tosse será usada no combate do coronavírus
Saúde
Ferramenta que reconhece tosse será usada no combate do coronavírus
Mulher de 54 anos sente falta de ar e morre horas depois no UPA Universitário
Cidade Morena
Mulher de 54 anos sente falta de ar e morre horas depois no UPA Universitário
VÍDEO: internado, Caio viveu a maior emoção do mundo ao receber os parabéns de Bolsonaro
Cidade Morena
VÍDEO: internado, Caio viveu a maior emoção do mundo ao receber os parabéns de Bolsonaro
Mais gente infectada: Jaraguari e Antônio João confirmam casos de Covid-19
Cidades
Mais gente infectada: Jaraguari e Antônio João confirmam casos de Covid-19