(67) 99826-0686
PMCG - Prestação de contas

Funcionando em 12 escolas, Ensino Médio integral vai atender 4 mil alunos em MS

Foco do novo modelo é o protagonismo do estudante e o combate à evasão escolar

11 DEZ 2016
Thiago de Souza
12h30min
Uma das escolas que vai adotar o novo modelo de ensino Foto: Blog Waldemir Barros da Silva

O ensino médio em tempo integral será expandido em Mato Grosso do Sul, em 2017, e deve contar com pelo menos 4 mil alunos, distribuídos em 12 escolas, de quatro cidades no Estado. MS vai atender a reformulação do ciclo, feita por meio de medida provisória em setembro pelo presidente Michel Temer. 

Na Capital são oito unidades. As outras ficam em Dourados, Maracaju, Naviraí e Corumbá. A secretária Estadual de Educação, Maria Cecília Amêndola da Motta, explicou que, a princípio, foram escaladas 16 unidades, ''mas só 12 se sentiram à vontade para aceitar o projeto, pois precisam passar por adaptações''. Ela relata que houve uma articulação muito grande em um tempo curto para atender essa demanda. 

O programa adotado no Estado segue modelo implantado em Pernambuco desde 2002 e quer reduzir o índice de abandono e aumentar a aprovação dos estudantes no ensino médio da rede pública estadual. “Estamos chamando este modelo de Escola da Autoria, porque o objetivo é estimular o protagonismo juvenil em uma educação pautada no jovem e seu projeto de vida, que incentive as publicações de alunos e professores”, destacou a secretária.

“Na proposta, a organização curricular do ensino médio contempla a Base Nacional Comum e uma parte diversificada, garantindo a aprendizagem e o desenvolvimento dos alunos”, garantiu Maria Cecilia. A titular da SED fez questão de lembrar que nos países mais desenvolvidos na educação no mundo ''ninguém estuda só quatro horas''. 

Maria Cecília detalha adesão ao ensino de tempo integral - Foto: SED/MS

Considerado um dos principais gargalos do Brasil, o ensino médio não cumpriu a meta do último Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), divulgado a cada dois anos. 

Maria Cecília não consegue quantificar o interesse pelo período integral, mas em uma primeira impressão ela pode destacar que a procura é grande na central de matrícula. “'Nós e os diretores também estamos animados”, ressaltou a dirigente. Os professores, conforme a secretaria de Educação, também passaram por capacitação e vão ter dedicação exclusiva naquela unidade escolar. 

Uma das escolas em Campo Grande que vão adotar o ensino integral é a Professor Waldemir Barros da Silva, na Moreninha I. Ernângela Maria de Souza Calixto é a diretora e destacou que toda escola que se dedicar à produção do conhecimento, pesquisa e iniciação científica formará estudantes pesquisadores, prontos para o ensino superior. 

Os custos e detalhes sobre a adaptação das escolas ainda estão em fase de levantamento, informou a secretária.  

Veja também