ENTREGAS
Solurbe - corrida do meio ambiente 18/04 a 08/05
(67) 99826-0686
Reviva centro

Investigação de abuso de poder e fraude contra diretor do Detran-MS é arquivada

Inquérito foi arquivado na quarta

18 SET 2016
Diana Christie
14h32min
Foto: Roberto Medeiros/RegiãoNews

O Conselho do MPE (Ministério Público Estadual) determinou, por unanimidade, o arquivamento de investigação contra o diretor-presidente do Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito), Gerson Claro Dino, pelo “uso de carro oficial e de servidor comissionado para assuntos particulares, transferências irregulares de multas de trânsitos e uso do site oficial do órgão para fins pessoais”.

“Esgotadas todas as diligências sem a demonstração de que o investigado tenha se utilizado do aparato estatal (veículo oficial, servidor, site institucional) para fins desvinculados do interesse público e/ou para promoção pessoal, exsurge imponente o convencimento da inexistência de fundamento para a atuação funcional do Parquet”, diz relatório do conselheiro Francisco Neves Júnior.

O resultado do inquérito civil conduzido pela 29ª Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social e das Fundações foi publicado no diário oficial do órgão na quarta-feira (14). Apesar de absolvido, Gerson Claro, já envolveu em outras polêmicas relacionadas ao tema.

Em abril de 2015, um veículo apreendido em Sidrolândia estava registrado em nome de sua esposa, com dívidas que ultrapassavam R$ 4 mil, entre outras coisas, débitos com IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores).

Na época, ele justificou que o veículo havia sido repassado para familiares da esposa, mas a transferência nunca foi realizada por causa do parentesco do beneficiário. Apesar disso, a dívida teria sido quitada à época.

Como administrador, Gerson também foi inocentado de improbidade administrativa em investigação iniciada após denúncia anônima de “suposto arquivamento indevido de processos administrativos de condutores devidamente penalizados, com penalidades ainda não cumpridas e transferências de pontuações fora do prazo previsto, a fim de favorecer terceiros”.

Veja também