tce agosto
Menu
segunda, 10 de agosto de 2020
Cidades

Para OAB/MS, Prefeitura de Campo Grande não pode armar guarda municipal

Decreto

01 novembro 2013 - 11h18Por Juliene Katayama

A OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil, sucursal de Mato Grosso do Sul) afirma que a Prefeitura de Campo Grande não está apto juridicamente para atribuir porte de arma aos guardas municipais. A discussão sobre o porte de arma foi entre comissões de Direitos Humanos e de Estudos Constitucionais da OAB/MS e delegado da Polícia Federal, José Otacílio Della-Pace.

 

O Decreto n° 12.197, foi publicado no dia 11 de setembro deste ano. O projeto é uma proposta de emenda constitucional à Lei Orgânica Municipal 61/13 e modifica a redação do inciso IV do artigo 8. Segundo o texto, fica permitido “criar e manter a guarda municipal armada e uniformizada, necessária à proteção de seus bens, logradouros, serviços, instalações e a ordem publica e também como serviço permanente de proteção dos munícipes e pessoas em geral”.

 

Para treinar o efetivo da guarda municipal a prefeitura firmou convênio com a Superintendência Regional do Departamento de Polícia Federal. Mas não há uma formalização, existe somente uma tratativa extraoficial. De acordo com o presidente da Comissão de Estudos Constitucionais, o município ainda não está apto juridicamente para atribuir porte de arma aos guardas municipais.


Solução - As comissões da OAB/MS sugerem a instalação de uma Ouvidoria e Corregedoria autônomas e exclusivas para a guarda municipal e a Escola de Formação Técnica Policial, nos termos do que está previsto no Estatuto do Desarmamento e no respectivo Decreto regulamentar, ambos do Governo Federal.

 

O Estatuto do Desarmamento prevê que em municípios acima de 500 mil habitantes, os agentes podem portar arma 24h. No entanto, é necessário que preencha alguns requisitos como, por exemplo, a qualificação necessária, que hoje é de responsabilidade da Polícia Federal.


“É de extrema importância que os guardas aprendam sobre direitos humanos, penal e constitucional”, afirma o secretário-geral da Comissão de Direitos Humanos, Caio Magno Duncan Couto. 


Caio Magno afirmou que a Ordem irá encaminhar um relatório sobre o uso de armas pela categoria. “A Comissão já abriu oito procedimentos envolvendo guardas municipais da Capital. Por isso, enviaremos nosso parecer à PF”, explicou.


A OAB/MS vai colaborar no auxílio jurídico à PF, informando a realidade local e, se necessário, ajuizar uma ação judicial caso o município atribua o porte sem que esteja qualificado e autorizado. 

Leia Também

Prefeitura e Defensoria fazem acordo para evitar lockdown em Campo Grande
Cidade Morena
Prefeitura e Defensoria fazem acordo para evitar lockdown em Campo Grande
Médico que lutava contra câncer no cérebro há 20 anos morre em Coxim
In Memoriam
Médico que lutava contra câncer no cérebro há 20 anos morre em Coxim
Grávida é presa por cortar pênis do marido ao descobrir traição na... NIGÉRIA
Geral
Grávida é presa por cortar pênis do marido ao descobrir traição na... NIGÉRIA
Delegado de MS segue internado com covid no Albert Eintein
Cidades
Delegado de MS segue internado com covid no Albert Eintein