TCE MAIO
(67) 99826-0686

Péssima estrutura de posto revolta população no Nhanha

Novela

5 FEV 2014
Marcelo Villalba
11h12min
Foto: Geovanni Gomes

No mês passado o prefeito Alcides Bernal e os secretariado reinauguraram  uma Unidade Básica de Saúde Familiar (UBSF) do jardim Macaúbas, na saída de São Paulo.  O secretário municipal de saúde pública (Sesau), Ivandro Corrêa Fonseca, afirmou que até o fim do ano outras obras e reformas nas unidades de atendimento seriam feitas.  A equipe do Top Mídia News, tomou conhecimento de que uma das prioridades seriam a UBSF Nova Esperança, na rua Anhumas, Jardim Nhanha.

Os pacientes que vão até a unidade, não se deparam basicamente com a estrutura adequada de um posto de saúde. O local com característica de uma pequena casa, que foi alugada, comporta os funcionários e um número pequeno de pessoas para atendimento.

Segundo a moradora da frente do posto, Nilsa Lima, 50 anos, o que peca no local seria basicamente a estrutura. "É um lugar pequeno, tem muita gente para atender. Em um lugar bem danificado", reclama.

O local está assim a mais de dez anos conforme informou a presidente do bairro, Noemia Oliveira, 65 anos, que desde que está no comando luta para que o local mude para um espaço maior. "Era para ser transferido para o parati, começaram a fazer a obra mas foi interrompida, ninguém disse e fez mais nada".

Noemia falou que o posto é uma novela que nunca termina, que já pediu ajuda para um casal de vereadores mas que nada até então foi resolvido.  "Com o fim da gestão passada foi tudo paralisado, perdido praticamente", relata.

Na unidade o atendimento é praticamente apertado, na sala mal cabe o médico e o paciente.  "Existe um médico por período, até porque o local não comporta mais que isso".

A presidente falou ainda que no caso, o que ela denomina como "morada da saúde" não deveria ser reformada e sim construída uma unidade maior. "Os moradores já ofereceram um espaço, e eles (prefeitura) falaram que o local era pequeno".

Para conseguir uma hora ou tentar marcar, a população tem que chegar no local as cinco e meia, o horário de abertura do portão é por volta das 6h30, fechando para almoço ao 12h45. Os horários de atendimento começam às 07h e vai até as 17 horas.

Maria Helena, 57 anos, dona de casa estava chegando para tentar marcar um exame quando a abordamos, a reclamação dela vai de encontro com todas as pessoas que foram ouvidas, a demora para o atendimento esta na frente das reclamações. "Demora de mais para atender, e em média em cinco mês vou conseguir marcar. Agora deixa eu tentar marcar", comenta.

No local falamos com a gerente administrativa Ana Craudia,  do posto que alega que o outro posto era para ser entregue em 2009, mas não entrou em detalhes por qual motivo não foi entregue até agora.

Tentamos entrar em contato com o secretário para ouvir-lo sobre qual medida será tomada na região, mas o telefone estava desligado.

A reclamação do péssima estrutura do local, não vem de agora, os moradores já reivindicam melhores a nos. Em 2012 houve protesto dos moradores e nenhum posicionamento foi tomado. 

Veja também