TCE MAIO
(67) 99826-0686

População participa de celebração a Iemanjá no Porto Geral de Corumbá

Corumbá

31 DEZ 2013
Diário Corumbaense
20h00min
Foto: Anderson Gallo

 

O Porto Geral de Corumbá foi palco, na noite da última segunda-feira (30), de outra manifestação da cultura religiosa africana. A Louvação a Iemanjá, rainha do mar, reuniu centenas de pessoas na "prainha" às margens do rio Paraguai.

Caboclos, pretos velhos e orixás das inúmeras tendas de Umbanda e Candomblé se uniram para homenagear a "mãe de todos os orixás" entoando cânticos em idiomas africanos, ao som dos atabaques, para prestar homenagens e fazer oferendas à divindade das águas. Barquinhos de isopor com perfumes, espelhos, batons e diversos presentes que realçam a vaidade feminina foram oferecidos e lançados ao rio.

“Iemanjá traz proteção, segurança, saúde, alegria, é a motivadora de nossos sonhos, é a deusa do amor. Como ela é bela, ofertamos tudo o que uma bela mulher deseja, estar linda, perfumada, comer e beber tudo do bom e do melhor, por isso colocamos em seu barco perfumes, flores, velas, aromas, comidas, bebidas, espelhos, tudo o que agrada uma  mulher”, disse Nilse Brito Claro, da casa de umbanda Dona Carlinda de Corumbá.

E em meio aos corumbaenses, 42 campo-grandenses também participaram da homenagem a rainha das águas. “A tenda de umbanda de Campo Grande veio a Corumbá para realizar suas oferendas a Iemanjá nas águas do rio Paraguai, pois ela acolhe a nossos pedidos, nossos clamores, logo, toda oferta é válida, por isso enfrentamos essa viagem e viemos louvá-la em seu lugar de origem, em meio a água”, explicou Paulo César da Silva, da tenda de umbanda Ogum Itaquiara, de Campo Grande.

Iemanjá possui vários nomes: sereia do mar, princesa do mar, rainha do mar, Inaé, Mucunã, Dandalunda, Janaína, Marabô, Princesa de Aiocá, Sereia, Maria, Dona Iemanjá; dependendo de cada região, mas sua origem vem da África. "A Iemanjá brasileira é resultado da miscigenação de elementos europeus, ameríndios e africanos".

Em cada lugar do Brasil, Iemanjá é festejada, mas as datas diferem de um lugar para outro. Em alguns é festejada no dia 31 de dezembro, junto à passagem de ano. Na Bahia sua data é comemorada no dia de Nossa Senhora das Candeias, 02 de fevereiro. Venerada nos Candomblés da Bahia, recebe muitas homenagens e oferendas.

Fonte: Diário Corumbaense

Veja também