(67) 99826-0686
ALMS 13/06 a 12/07

Sem fiscalização moradores transformam ruas da Capital em lixão

Descuido

10 FEV 2014
Carlos Guessy
18h30min
Foto: Geovanni Gomes

Uma denúncia por telefone à redação do Top Mídia News, relatou que um incêndio estava se alastrando em um terreno onde moradores transformaram em  lixão na rua Leão Zardo, no bairro São Conrado, fundos com o muro da Base Aérea de Campo Grande, região urbana do Lagoa. Chegando ao local, a reportagem constatou o lixo jogando na beira da rua e apenas um monte de palha que está queimando. Ventava muito no local e com isso a fumaça tomava conta, causando baixa visibilidade aos motoristas que passavam pelo local, além do mal cheiro.


Um morador do bairro que não quis se identificar, disse que um jovem de aproximadamente 20 anos foi quem colocou o fogo no monte de palha seca. "Eu estava passando e vi um menino revirando a palha, em seguida a fumaça se alastrou. Isso foi na hora do almoço, por volta do meio dia. Chamei o bombeiro, mas nada. Essa fumaça está fedida, deve ter algo em decomposição, cheiro de carniça", contou o morador.


A rua se transformou em depósito de lixo e com as chuvas de verão pode se tornar um lugar ideal para a proliferação de insetos e animais peçonhentos, sobretudo como criadouros do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue.


 

A via que tem pouco fluxo de veículos e pedestres fica no final da vila e quase não possui residências de um lado, talvez se tornando por esse motivo um atrativo para moradores transformarem justamente essa parte da rua em deposito de lixo.


No local é possível encontrar de tudo em matéria de lixo, inclusive orgânicos que são recolhidos periodicamente pela coleta pública, mas que alguns indivíduos preferem descartá-los na via, até carcaças de geladeiras, fogões, galhos de árvores e principalmente restos de materiais utilizados na construção civil.


Quase em frente ao local, o peão de fazenda, João Carlos Pereira, 65 anos, disse que moradores do próprio bairro já estão acostumados a jogar entulhos nesse terreno. "Aqui não tem nenhum tipo de fiscalização. É vergonhoso isso, daqui sentado dá pra ver e reconhecer quem joga esse lixo aqui na frente. É feio tanto olhando daqui, imagina de cima para quem chega e vê esse lixão no fundo da base e do lado do aeroporto", alfinetou o peão.


 

Próximo desse local, moradores do bairro nos indicaram outro principio de lixão só que no bairro ao lado, no Santa Emília, na Avenida Wilson Paes de Barros. Chegando ao local flagramos um motociclista tentando passar pela via, junto de um caminhão de gás, como o lixo está avançando pela rua, a via se estreitou e apenas um veículo passa por vez nos dois sentidos, tanto para quem vai sentindo Nova Campo Grande/Serradinho quanto para o sentido do centro Av. Hunter Hans.


O motociclista parou por um minuto e falou com a reportagem. "Esse lixão aqui está crescendo cada dia. Passo sempre para ir no Serradinho, essa av. corta caminho, mas é complicado passar assim, vocês viram o caminhão teve que para eu passar. Se fosse outro carro não passava, ou o carro tem que entrar e par por cima do lixo ou então ele cria asas e voa, porque do outro lado o terreno é cercado, porém se for do lado dos entulhos corre o risco de furar pneu ou danificar o veículo. Está cheio de vidros, pau, madeira, não me arrisco mesmo", disse Ronaldo Braga.  


 

O Top Mídia News entrou em contato com a prefeitura para saber de algum cronograma  das limpezas na região e nos terrenos citados porém nenhuma resposta foi dada até o fechamento desta reportagem.



Foto: Geovanni Gomes
Foto: Geovanni Gomes
Foto: Geovanni GomesFoto: Geovanni GomesFoto: Geovanni GomesFoto: Geovanni GomesFoto: Geovanni Gomes

Veja também