TCE MAIO
(67) 99826-0686

Servidores da Reme que aderiram à greve denunciam falta de pagamento há dois meses

Além do corte do salário, a prefeitura também não está liberando o holerite dos servidores

1 SET 2016
Kerolyn Araújo
19h00min

O TopMídiaNews recebeu uma denúncia de que aproximadamente 500 servidores da Rede Municipal de Ensino (Reme), que aderiram a última greve, estão sem receber salário há cerca de dois meses. Eles estariam sobrevivendo com a ajuda de uma cesta básica doada pelo Sindicato dos Servidores Municipais de Campo Grande (Sisem).

Monitora de alunos da Escola Municipal Professora Iracema Maria Vicente, no bairro Rita Vieira, uma servidora que não quis se identificar por medo de represálias, contou ao TopMídiaNews que está sem receber o salário pelo segundo mês consecutivo por ter aderido à greve. "Estamos passando por uma situação muito difícil. Todos nós temos famílias e contas para pagar", lamentou.

Ainda segundo a servidora, desde que aderiram ao movimento, os servidores sabiam que teriam que repor os dias não trabalhados ou eles seriam descontados do salário, mas essa decisão caberia apenas a um magistrado. "A Justiça ainda está cuidando do caso e o juiz ainda não deu um parecer sobre a greve. Mesmo assim, o prefeito mandou cortar os nossos salários. Entramos em contato com a Secretaria Municipal de Educação (Semed) e fomos informados que eles estão apenas seguindo ordens", explicou.

De acordo com o presidente licenciado do Sisem, Marcos Tabosa, a prefeitura não poderia suspender os salários dos servidores. "Os descontos só poderiam ocorrer após a audiência de conciliação que está marcada para o dia 14 de setembro. Até que a situação seja regularizada, o sindicato está ajudando os servidores que estão sem receber com uma cesta básica", disse.

Além do corte do salário, a prefeitura também não está liberando o holerite dos servidores, o que impede que eles consigam fazer empréstimos.

Veja também