A+ A-

domingo, 14 de abril de 2024

domingo, 14 de abril de 2024

Entre em nosso grupo

2

Cidades

04/09/2018 17:17

A+ A-

Setembro azul: eventos voltados para a comunidade surda serão realizados em Campo Grande

Em setembro, a comunidade surda brasileira comemora sua identidade e uma história de lutas e conquistas

Em Campo Grande a comemoração do Setembro Azul acontecerá com diversos eventos gratuitos voltados para a comunidade surda e pessoas interessadas. Por meio da iniciativa da Editora Transtec e parcerias com o Cinecafé, CAJOR (Centro Acadêmico de Jornalismo – UFMS) e Clube de Astronomia Carl Sagan, será realizada mesa de debate, observação astronômica e sessões de filmes, todos com presença de intérprete de libras.

Jairo Ricci, empresário e idealizador da plataforma de acesso gratuito ao conteúdo Autoescola Libras, falou sobre a importância de eventos pensados nas pessoas surdas "É importante usar esse mês do Setembro Azul pra gente refletir um pouco mais sobre a acessibilidade da pessoa surda em eventos direcionados ao ouvintes, lembrar que todo mundo tem que ter acesso as mesmas atividades".

José Victor, diretor de eventos do CAJOR afirma que “Hoje vivemos em uma sociedade onde as minorias ainda são impostas às diferenças. Enquanto vivermos em um ambiente social que perpetue essas diferenças, elas sempre deverão ser pautadas em meios de conversas e debates como esse”. 

Em setembro, a comunidade surda brasileira comemora sua identidade e uma história de lutas e conquistas. Nomeado de “Setembro Azul”, o mês é repleto de datas importantes para os surdos. No dia 10 é comemorado o Dia Internacional da Língua de Sinais, 21 é o Dia Nacional da Luta das Pessoas com Deficiência, dia 26 é o Dia Nacional dos Surdos (conforme a lei nº 11.796 de 29 de outubro de 2008) e no dia 30 é comemorado o Dia Internacional do Surdo e o do Profissional Tradutor. 

A cor escolhida para representar o mês é devido a dois marcos históricos para a comunidade surda. Durante a Segunda Guerra Mundial, nos campos de concentrações nazistas, as pessoas com deficiência eram identificadas com uma faixa azul colocada em seus braços. O segundo motivo é uma lembrança do XIII Congresso Mundial da Federação Mundial de Surdos que aconteceu em 1999 na Austrália, nele foi realizada a Cerimônia da Fita Azul para relembrar a opressão que sofreram com o Nazismo, o Dr. Paddy Ladd, pesquisador e ativista surdo, utilizou a fita azul para representar o orgulho do movimento.  

Eventos 

SESSÃO DE FILME | Nada que eu ouça 

Com Cinecafé | 11.09 às 19h 

Museu da Imagem e do Som – MIS, Av. Fernando Corrêa da Costa, 559 

Legendado. Laura e Dan Miller estão muito bem casados há muitos anos. Porém, o relacionamento do casal começa a mudar quando seu único filho, Adam, perde a audição com quatro anos de idade. Laura, que é surda, vê essa ocorrência como um problema menor, algo que ela tem tratado durante toda a sua vida; Dan, por outro lado, começa a criar expectativas sobre a cirurgia de Implante Coclear, pois na percepção dele, seu filho poderia recuperar a audição e viver uma vida mais normal. A cirurgia, na realidade tem os seus prós e contras. Laura é totalmente contra e deixa isso bem claro. O casal deve encontrar uma maneira de consertar suas diferenças e tomar a melhor decisão para o futuro de Adam.  

SESSÃO DE FILME | História do Movimento Político das Pessoas com Deficiência no Brasil 

Com Cinecafé | 12.09 às 19h 

Museu da Imagem e do Som – MIS, Av. Fernando Corrêa da Costa, 559 

Com janela de intérprete. O documentário tem por objetivo contar a história das pessoas com deficiência, com ênfase no aspecto político, particularmente no contexto da abertura política no final da década de 1970 e da organização dos novos movimentos sociais no Brasil.  

SESSÃO DE FILME | O Milagre de Anne Sullivan 

Com Cinecafé | 13.09 às 19h 

Museu da Imagem e do Som – MIS, Av. Fernando Corrêa da Costa, 559 

Legendado. A incansável professora Anne Sullivan tenta fazer com que Helen Keller, uma garota surda-cerga, se adapte e entenda o mundo que a cerca. Para isso, entra em confronto com os pais da menina que, por piedade, a tratam de forma mimada.  

SESSÃO DE FILME | Diálogos do silêncio 

Com Cinecafé | 14.09 às 19h 

Museu da Imagem e do Som – MIS, Av. Fernando Corrêa da Costa, 559 

Com janela de intérprete. O documentário traz à tona uma série de questões relacionadas às culturas e comunidades surdas: os discursos identitários, as políticas de educação para surdos (das escolas bilíngues para surdos à inclusão em escolas regulares), as lutas por acessibilidade, os desafios no mundo do trabalho, o cotidiano, etc. Depoimentos de surdos e ouvintes fazem coro sobre a importância de se lutar pelos direitos surdos, reafirmando suas especificidades linguísticas e culturais.  

OBSERVAÇÃO ASTRONÔMICA 

Com Clube de Astronomia Carl Sagan | 19.09 às 19h 

Casa da Ciência, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul 

Presença de intérprete. Fundado em 2007, o Clube de Astronomia Carl Sagan realiza semanalmente observações astronômicas abertas ao público com a finalidade de divulgar a astronomia para a comunidade em geral. No dia 13 de setembro, estará no local um interprete de libras para que a comunidade surda tenha a oportunidade de obter conhecimento sobre os astros e o espaço.  

MESA DE DEBATE | Os desafios da educação inclusiva no século XXI 

Com CAJOR, Sarah Santos e Alex Carmona | 21.09 às 19h 

Auditório da FAALC, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul 

Presença de intérprete. A educação é um direito de todos, inclusive de pessoas com deficiência. Nessa mesa de debate serão considerados pontos importantes na discussão sobre o direito e acesso à educação básica e superior pelas pessoas com deficiência no processo de formação do indivíduo. 

Carregando Comentários...

Veja também

Ver Mais notícias