TCE 27/10 a 29/10
Menu
quinta, 28 de outubro de 2021 Campo Grande/MS
Cidades

Sucessora de contratos milionários da Itel, Mil Tec herda investigações de 'bônus'

Empresários terão que prestar esclarecimentos para a Operação Coffee Break

10 setembro 2016 - 15h00Por Thiago de Souza

Herdeira de contratos milionários da Itel Informática, do empresário João Baird, a Mil Tec Tecnologia da Informação recebeu de ‘bônus’ as investigações da corporação, entrando na mira da Operação Lama Asfáltica, por exemplo.

Considerando a fusão entre as duas empresas, o MPE (Ministério Público Estadual) pediu à Justiça, nesta segunda-feira (5), que intime os sócios-proprietários da Mil Tec para prestar esclarecimentos no âmbito da Coffee Break, operação na qual a empresa também é investigada. 

Os citados no pedido, assinado pelos promotores Thalys Franklin de Souza, Tiago de Giulio Freire e Cristiane Mourão Leal Santos, da força-tarefa 29ª Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social, são os empresários João Baird, ex-proprietário da Itel, e o sócio dele na Mil Tec, Ricardo Fernandes de Araújo. 

Assim que incorporou a Itel, a Mil Tec assumiu todos os processos que a Itel respondia e a antiga empresa foi declarada extinta. 
Na Lama Asfáltica, Baird é acusado, entre outras coisas, de fraudar licitações de obras com o Governo do Estado. Segundo as investigações, o prejuízo para os cofres públicos é de, no mínimo, R$ 11 milhões. 

Itel e Prefeitura

A Itel Informática também mantinha contratos com a prefeitura de Campo Grande. Celebrado em 2009, o acordo teve sucessivos aditivos, com acréscimo de prazo que ia de 90 dias a 12 meses. O valor original para a prestação de serviços era de R$ 9 milhões e saltou para R$ 12 milhões em 2012.   
O contrato entre as partes foi encerrado pela própria prefeitura, no dia 18 de agosto de 2015, atendendo recomendação do MPE, já que a Itel era investigada na Lama Asfáltica.  

Conforme o Diário Oficial do MPE, outras pessoas também devem ser ouvidas, como o empresário Luiz Pedro Guimarães e Fábio Portela Machinsky, este peça-chave da operação, já que é apontado como negociador das vantagens indevidas aos vereadores, em troca de votos pela deposição do prefeito Alcides Bernal (PP). 

Ainda não viu  

O advogado do empresário João Baird, José Wanderley, disse que ainda não viu a citação do MPE e por isso não poderia opinar. Ele também não pode informar, no momento, quais outros processos que a empresa Mil Tec 'herdou' da Itel.   

Leia Também

Funcionários veem helicóptero suspeito voando sobre aeronave caída em Batayporã
Interior
Funcionários veem helicóptero suspeito voando sobre aeronave caída em Batayporã
Polícia prende empresário que furou sinal e atropelou adolescente em Costa Rica
Interior
Polícia prende empresário que furou sinal e atropelou adolescente em Costa Rica
Adolescente engole 16 escovas de dente e prego a pedido de médico
Geral
Adolescente engole 16 escovas de dente e prego a pedido de médico
Suplente de vereador vence processo contra deputado em Campo Grande
Campo Grande
Suplente de vereador vence processo contra deputado em Campo Grande