(67) 99826-0686

NASA oferece R$ 70 mil para voluntários ficarem deitados por 60 dias

A ideia é estudar a viabilidade de viagens espaciais de longa duração

29 MAR 2019
Da redação/Só Notícia Boa
07h45min
Foto: Reprodução/Só Notícia Boa

A NASA está recrutando voluntários para passarem dois meses deitados e receberem 14 mil euros, cerca de 74 mil reais. A ideia é medir se as ‘câmaras de gravidade artificiais’ são viáveis para viagens espaciais de longa duração. Quem aceitar a proposta passará 60 dias fazendo todas as tarefas – inclusive ir ao banheiro – deitado. A Nasa está conduzindo o estudo com a Agência Espacial Européia (ESA) no Centro Aeroespacial Alemão (DLR).

Especialistas espaciais da NASA e da ESA irão acompanhar os participantes e estudar o tempo todo como o corpo dos astronautas pode ser afetado pela gravidade artificial, já que já se sabe que a falta de gravidade causa uma atrofia nos músculos e nos ossos, e modifica o deslocamento do sangue pelo corpo. “O uso de gravidade artificial pode ser a melhor solução para a proteção da saúde humana durante missões espaciais de longa duração em seres humanos”, disse o cientista-chefe Dr. Edwin Mulder, do Instituto DLR de Medicina Aeroespacial, ao The Sun.

Os vinte e quatro participantes que serão selecionados devem ter entre 24 e 55 anos. As inscrições estão encerradas em 24 de maio, com testes iniciados em setembro – embora você precise falar alemão para participar. Voluntários terão uma TV, material de leitura e outras atividades de lazer para evitar que fiquem entediados, mas há um problema. Você terá que fazer tudo – de comer a ir ao banheiro – deitado.

Para validar o experimento de modo real, os voluntários serão colocados em uma leve inclinação e com os pés elevados acima da cabeça e do corpo para reduzir a concentração de sangue nas extremidades do corpo. Em seguida, serão girados em uma centrífuga a 30 rotações por minuto para forçar o sangue a voltar para as extremidades. “O uso da gravidade artificial pode ser a melhor solução para a proteção da saúde humana durante missões espaciais de longa duração em humanos”, disse o cientista-chefe Dr. Edwin Mulder, do Instituto DLR de Medicina Aeroespacial, ao The Sun.

Quando o estudo terminar, os especialistas verificarão cada participante para ver se a técnica reduziu o desgaste muscular. Os cientistas esperam aplicar as descobertas para ajudar os astronautas em futuras missões espaciais a longo prazo. Infelizmente, você precisará falar alemão para se candidatar. A pesquisa durará um total de 89 dias. Os voluntários passaram por cinco dias de familiarização antes de se deitarem e, após a conclusão dos 60 dias, passarão por 14 dias de descanso e reabilitação.

Veja também