Menu
segunda, 01 de março de 2021
CORONAVÍRUS

Com doses da Oxford, cerca de 55% dos profissionais de saúde de MS serão imunizados

A ordem para imunização deste segundo lote é de que seja em profissionais da linha de frente idosos ou com mais idade

24 janeiro 2021 - 14h30Por Rayani Santa Cruz

O secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende recebeu o lote com 22 mil doses de vacinas da Oxford, no aeroporto de Campo Grande na tarde deste domingo (24). Ele afirma que com a nova remessa, o total de 55% dos profissionais de saúde da linha de frente serão imunizados em Mato Grosso do Sul.

As doses começam a ser distribuídas a partir das 5h da manhã desta segunda-feira (25), com a logística da força-tarefa simultaneamente nos 79 municípios. 

“Já definimos que a partir das 5h da manhã as equipes estarão distribuindo das vacinas aos 79 municípios de forma simultânea como foi realizado na semana passada, disse o secretário que reforçou o pedido, que nesse lote sejam vacinados os profissionais com idade avançada e principalmente idosos. 

“Haveremos de publicar no Diário Oficial para onde vão as doses, o quantitativo que cada município irá receber e notificamos que as cidades apliquem nos profissionais de saúde mais idosos”.

O gestor disse ainda que a chegada de mais vacinas representa esperança, alivio e fortalecimento na convicção de que a doença será vencida, disse o secretário.

Previsão

Na próxima quarta-feira (27) está prevista a chegada de mais doses da CoronaVac que serão aplicadas em idosos conforme indica o Plano Nacional de Imunização. 

Fura fila

O secretário Geraldo Resende disse que todos os gestores municipais estão orientados a seguir corretamente o PNI para que não haja os fura fila. “Acredito que no MS, teremos um caso de sucesso e os fura filas e o que‘ são acostumados a dar um jeitinho’ não terão vez no estado. O MP vai ajudar e vamos manter a transparência para não dar espaço para os negacionistas e que desacreditam no Sistema Único de Saúde que tem dado resposta positiva ao enfrentamento da covid-19”