TCE JUNHO 2022
TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
terça, 28 de junho de 2022 Campo Grande/MS
GOV ENERGIA ZERO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
CORONAVÍRUS

Governo de MS decreta fim do estado de emergência por conta da Covid-19

Decreto ficou em vigência por pouco mais de dois anos

23 maio 2022 - 08h51Por Antonio Bispo

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), decretou, no dia 20 de maio, o fim do estado de emergência em todo o Estado, por conta da Covid-19.

Na publicação em Diário Oficial, foi destacado que, após a 75ª reunião ordinária com os Conselheiros do Programa de Saúde e Segurança da Economia (Prosseguir), ocorrida no dia 19 de maio, com base nos dados estatísticos apresentados pela Secretaria de Estado de Saúde em relação ao quadro da Covid-19 em MS, decidiu-se revogar o decreto nº 15.396.

O decreto em questão, publicado no dia 19 de março de 2020, data em que a pandemia começou a se espalhar pelo país e chegou em Mato Grosso do Sul, determinava uma série de medidas, dentre elas, o fechamento de parques públicos e centros esportivos nos quais o Estado era responsável, a fim de evitar aglomerações.

Assim, com a revogação do decreto, todas as cláusulas impostas há poucos mais de anos deixam de valer.

Situação em MS

O número de casos confirmados em pacientes com a Covid-19 sofreu um leve aumento, no último Boletim divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde - SES, na terça-feira (17).

De acordo com os dados, houve a confirmação de 1.314 novos casos em todo MS, frente aos 872 que haviam sido detectados na semana anterior.

Embora tenha ocorrido o aumento, o número de pessoas internadas em hospitais públicos e privados de todo o Estado é baixo.

Em Campo Grande, por exemplo, dos 232 leitos disponíveis em UTIs pelo SUS, apenas 4% são ocupados por casos suspeitos de Covid-19, que não tiveram sua confirmação.

Esse cenário segue em outros grandes centros como Dourados, Três Lagoas e Corumbá. Além disso, houve redução no número de mortos.

No último Boletim, sete pessoas morreram em decorrência da doença, com uma média móvel de uma morte a cada dia.