Menu
segunda, 23 de novembro de 2020
CORONAVÍRUS

Pesquisador da Fiocruz, Julio Croda vê possibilidade de vacina para idosos no Brasil

Imunizante demonstrou uma resposta imunológica positiva entre idosos

27 outubro 2020 - 07h35Por Nathalia Pelzl

O pesquisador da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), Júlio Croda, disse queos resultados dos estudos de eficácia da vacina de Oxford podem ajudar o Brasil a pensar em um imunizante contra a covid-19, especialmente para os idosos, que estão no grupo de risco da doença. 

Ontem, foi divulgado que o imunizante demonstrou uma resposta imunológica positiva entre idosos.

A vacina de Oxford é desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a farmacêutica AstraZeneca. 

No Brasil, ela tem os estudos de eficácia coordenados pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) e será produzida pela Fiocruz se aprovada.  Ao lado da vacina de Oxford, a CoronaVac, desenvolvido pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, é a outra vacina contra a covid-19 que deve ser distribuída pelo Ministério da Saúde. 

"Se uma dessas vacinas for mais importante nos idosos e mostrar uma proteção maior, pode ser feita uma escolha, se o Brasil tiver essa opção, é importante", disse Croda em entrevista à CNN Brasil. 

O pesquisador comentava sobre um possível cenário de "registro emergencial" das vacinas por parte da Anvisa. Como a CoronaVac também vem tendo resultados promissores nos estudos, a vacina de Oxford poderia ser aplicada em idosos, enquanto o imunizante do Butantan seria destinado a adultos e jovens.