Menu
sábado, 24 de julho de 2021
CORONAVÍRUS

SES afirma que 87,8% dos pacientes em UTIs na Capital moram na cidade

“É falacioso dizer que grande parcela dos pacientes internados em Campo Grande são do interior", disse o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende

15 junho 2021 - 14h15Por Rayani Santa Cruz

A Secretaria de Estado de Saúde informou nesta terça-feira (15),  que 87,8% dos pacientes internados em leitos de UTI em Campo Grande este ano são residentes do próprio município. Isso significa que não há superlotação causada por paciente do interior, diz o  secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende.

Resende destaca que a estruturação de leitos de UTI nos municípios do interior do Estado fez com que Campo Grande não sofresse grande impacto. “É falacioso dizer que grande parcela dos pacientes internados em Campo Grande são do interior. Cerca de 88% dos pacientes internados na Capital são residentes do próprio município”, disse Geraldo.

Segundo informações extraídas do Sistema Estadual de Regulação/CORE – Módulo de Urgência, no mês de maio de 2021, das 825 pessoas internadas sem Campo Grande, 728 (88,24%) são residentes do próprio município de Campo Grande. O total de 68 (8,24%) foram pacientes dos municípios da microrregião de Campo Grande, 27 (3,27%) pacientes de municípios da macrorregião de Campo Grande e dois (0,24%) pacientes correspondem as regiões de Dourados, Corumbá e Três Lagoas.

Entre janeiro e abril de 2021, 2.741 pessoas foram internadas em Campo Grande, sendo que 2.386 (87%) são pacientes residentes em Campo Grande, 192 (7%) foram pacientes dos municípios da microrregião de Campo Grande, 136 (5%) pacientes de municípios da macrorregião de Campo Grande e 27 (1%) pacientes correspondem as regiões de Dourados, Corumbá e Três Lagoas.

Já entre janeiro e dezembro de 2020, 87,8% dos 5.051 pacientes internados na Capital, são morados do próprio município. 6,4% foram pacientes da microrregião, 5,2% residentes da macrorregião e somente 0,60% pacientes de outras macrorregiões do Estado.

A Secretaria de Estado de Saúde  afirma que desde o início da pandemia contra covid-19 tem intensificado ações de controle da transmissibilidade do vírus, capacitando equipes municipais e estruturando toda rede de atenção a saúde. A SES diz que tem monitorado os indicadores imprescindíveis para o acompanhamento da pandemia no Estado, utilizando para fundamentar a tomada de decisões pelos gestores de saúde.

Em março de 2020  Mato Grosso do Sul possuía 515 leitos de UTI distribuídos em sete municípios de sete microrregiões do Estado. Atualmente, são 1.655 leitos de UTI distribuídos pelas onze microrregiões em quinze municípios.