A+ A-

domingo, 14 de abril de 2024

domingo, 14 de abril de 2024

Entre em nosso grupo

2

Economia

06/09/2018 15:03

A+ A-

Dono de supermercado é detido por vender carne podre na Capital

Batida do Procon e da Vigilância encontrou diversos produtos estragados e fora dos prazos de validade

Supermercado localizado no bairro Santo Antônio em Campo Grande, com grande movimento de pessoas, foi alvo de fiscalização conjunta  do Procon (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor)  e da Decon (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra as Relações de Consumo de Mato Grosso do Sol), nesta quinta-feira (06.09).

Irregularidades importantes  foram detectadas ao ponto de a Vigilância Sanitária Municipal ser convocada a intervir. Entre os fatores que levaram a autuação do estabelecimento vale destacar um depósito existente nos fundos da unidade comercial com produtos com prazo de validade expirado, armazenados juntamente com outros dentro da validade.

Em verdadeiro atentado contra a saúde pública, houve flagrante de pessoas (açougueiros) manuseando carnes sem condição de consumo, armazenadas em um depósito, que seriam utilizadas no fabrico de linguiça e charque  que, posteriormente, seriam vendidas no açougue local. Havia ainda “gaiolas” contendo carne de sol ali fabricada. Por essa razão o supermercado teve seu açougue interditado.

Devido à grande  quantidade de irregularidades com exposição e venda  de produtos estragados, deteriorados e  sem condições de  consumo expostos para  venda, o responsável pelo local foi conduzido à Decon para prestar esclarecimentos. 

Outros produtos

Também impróprios ao consumo foram encontradas bandejas de embutidos fatiados, embalagens de iogurte, pacotes de linguiça bovina e carnes diversas, peito de frango, frutas diversas como é o caso de laranja, limão, abacaxi, maçã, manga e morango, entre outros, além de refrigerantes e cerveja.

No mesmo supermercado havia diversos produtos com prazo de validade vencido.  Suco de laranja, de caju, pó para preparo de sucos. Havia  caso de prazo expirado desde junho de  2017. Todos os produtos sem condições de consumo foram  descartados. Em função da grande quantidade, vários itens foram depositados no terreno do supermercado para serem recolhidos, posteriormente, em caminhão.

Carregando Comentários...

Veja também

Ver Mais notícias