Tribunal de Contas
(67) 99826-0686
Camara - marco

Empresários de MS estão mais otimistas no crescimento da economia local

Indústria MS

7 NOV 2013
Fiems
16h00min
Foto: Assessoria de Imprensa

A última sondagem industrial feita pelo Radar Industrial da Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul) referente ao mês de setembro, destacou que a indústria de Mato Grosso do Sul ampliou o otimismo para os próximos seis meses, com boas expectativas sobre a demanda de produtos industrializados, contratação de empregados, compra de matérias-primas e à exportação dos produtos industrializados.

 

Segundo a pesquisa, a melhor marca dos indicadores foi registrada sobre a demanda por produtos industrializados, que chegou a 60,90 pontos. No comparativo com o último levantamento (agosto) houve crescimento de dois pontos.

 

As demais variáveis apresentaram o seguinte desempenho: a contratação de trabalhadores pelo setor industrial alcançou 57,6 pontos, ou seja, aumento de 4,3 pontos; a compra de matérias-primas obteve a marca de 55,4 pontos, crescimento de 3,2 pontos; e a exportação de produtos industrializados atingiu a marca de 50 pontos, o que representa uma queda de 7,8 pontos.

 

Em Mato Grosso do Sul, de um modo geral, os empresários industriais se mostraram satisfeitos com a margem de lucro operacional de suas empresas no terceiro trimestre do ano, com o indicador alcançando 51,3 pontos. Quanto às condições de acesso ao crédito e situação financeira geral da empresa, os indicadores alcançaram os 40,1 e 55,6 pontos, respectivamente.

 

Já o Índice de Confiança do Empresário Industrial em Mato Grosso do Sul (ICEI/MS) alcançou em outubro o equivalente 60,5 pontos, indicando um crescimento de 5,5 pontos sobre o resultado do mês anterior, sendo esse o maior patamar alcançado pelo índice nos últimos 12 meses no Estado. Em síntese, o desempenho sinaliza que os industriais sul-mato-grossenses estão ainda mais confiantes, especialmente, em relação às expectativas quanto à economia estadual e com o comportamento das próprias empresas, que apresentaram evoluções de 5,4 e 7,2 pontos, respectivamente.

 

Veja também