ENTREGAS
Solurbe - corrida do meio ambiente 18/04 a 08/05
(67) 99826-0686
Reviva centro

Campo-grandense cria aplicativo para revolucionar mercado de trabalho na área da gastronomia

App ‘ Recruta’ proporciona maior autonomia para empregador e profissional em busca de boas oportunidades

12 SET 2016
Amanda Amaral
15h26min

Desenvolvido em Campo Grande, um aplicativo de smartphone quer mudar a forma de relacionamento entre empresas e profissionais do setor gastronômico. Sem burocracia e utilizando filtros, os criadores do ‘Recruta’ tiveram a intenção de mostrar que ambos conseguem encontrar oportunidades rapidamente.

Sem custos para os usuários, o aplicativo valoriza o tempo e currículos de usuários, cadastrando-os em um banco de dados que deve facilitar a comunicação entre os interessados.

A ideia foi amadurecida pelos irmãos empresários Irajá e Rafael Kogawa, proprietários do Grand Cru Wine Bar. Em entrevista ao TopMídiaNews, um dos criadores explica como funciona a plataforma. Formado em publicidade, Irajá já trabalhou com empresas de comunicação digital, mas sempre foi envolvido com gastronomia. Confira a seguir a conversa com a reportagem:

TopMídiaNews: Como surgiu a ideia do aplicativo?

Criamos o aplicativo porque é muito difícil achar um bom profissional para a área de restaurantes, que seja qualificado. É um aplicativo na área do recrutamento de pessoas. Na verdade, as pessoas encontram as vagas e as empresas encontram os profissionais. Nós fizemos alguns filtros para que, de forma bem prática, haja essa compatibilidade de perfis.

O principal ponto é a facilidade, para poupar tempo porque a maioria dos restaurantes, que são menores, é o próprio dono do local que toma conta de todo o processo de contratação e administração do negócio. É uma triagem bem completa, todas as informações ficam à disposição do empregador, que pode entrar em contato diretamente com quem busca o emprego.

Lançamos aqui em Campo Grande para testar, mas a intenção é que, a princípio, o app seja utilizado mesmo em outras cidades com mais fluxo desse tipo de demanda profissional. Nós terceirizamos a programação para a Just Works, foi demorado, cerca de um ano, entre testes e pesquisa. Parece simples, mas na verdade é uma ferramenta bem complexa.

TopMídiaNews: Quais são e como funcionam as principais utilidades do app?

Você tem duas opções de buscar profissionais.  Eu, como empregador, seleciono o tipo de profissional que procuro, com vagas em aberto, ou para selecionar no futuro, caso venha a precisar. As pessoas que eu marcar como de interesse, ficam numa espécie de ‘banco de dados’ que eu posso conferir sempre o currículo. É parecido se você é quem estiver buscando um trabalho.

A partir daí, nossa comunicação se dá dentro do aplicativo, num chat próprio onde não há necessidade de troca de números de telefone, o que dá um caráter mais profissional nessa conversa. Se você procurar pelo mapa, consegue ver os candidatos cadastrados que estão mais próximos, proporcionando a oportunidade de uma entrevista rápida pessoalmente.

Sempre que aparecer alguém que se encaixa na vaga, o empregador recebe um alerta no smartphone e no e-mail cadastrado.

Image and video hosting by TinyPic

Foto: André de Abreu

TopMídiaNews: Vocês aproveitaram as características de outros apps que deram certo?

Sim, as ferramentas do app são incríveis, você pode qualificar também a pessoa pelo aplicativo, assim como no Uber, por exemplo.

Além de você avaliar o profissional, dá par saber onde ele está, em tempo real, para conferir se é viável entrar em contato rapidamente, pessoalmente. É possível determinar o raio de alcance desse mapa. Consigo também otimizar meu tempo e observar de vai dar tempo ou não da pessoa chegar numa entrevista presencial, calculando pela distância em que ele aparece no mapa.

TopMídiaNews: Qual é o processo de contratação mais comum utilizado hoje?

Tem a Funsat, uma agência púbica, muitos colegas nossos disponibilizam as vagas por lá, mas nem sempre os perfis selecionados se encaixam para o trabalho, porque não são pessoas da área. Geralmente, são pessoas que apenas precisam de um emprego, mas nunca tiveram contato com a função da vaga.

Fora que é bem mais demorado, as pessoas chegam a marcar entrevista e acabam nem comparecendo. É um processo desgastante, não tem como comprovar esse comprometimento.

TopMídiaNews: Já que o download é gratuito, como vocês pretendem monetizar o serviço?

Primeiramente, através da parceria com instituições que oferecem cursos na área de gastronomia. Essas pessoas recebem alerta de novos cursos, o que agrega mais ainda ao currículo dela.

TopMídiaNews: E os profissionais que já estão empregados, eles permanecem no ‘catálogo’?

Aí essa pessoa vai ter a opção de marcar lá que estou empregado, para não se queimar com o empregador. Ela pode ‘bloquear’ o bate-papo ou ficar disponível para receber outras propostas, fica a critério dela.  

TopMídiaNews: Vocês aproveitaram as características de outros apps que deram certo?

Sim, as ferramentas do app são incríveis, você pode qualificar também a pessoa pelo aplicativo, assim como no Uber, por exemplo.

Além de você avaliar o profissional, dá par saber onde ele está, em tempo real, para conferir se é viável entrar em contato rapidamente, pessoalmente. É possível determinar o raio de alcance desse mapa. Consigo também otimizar meu tempo e observar de vai dar tempo ou não da pessoa chegar numa entrevista presencial, calculando pela distância em que ele aparece no mapa.

TopMídiaNews: Qual é o processo de contratação mais comum utilizado hoje?

Tem a Funsat, uma agência púbica, muitos colegas nossos disponibilizam as vagas por lá, mas nem sempre os perfis selecionados se encaixam para o trabalho, porque não são pessoas da área. Geralmente, são pessoas que apenas precisam de um emprego, mas nunca tiveram contato com a função da vaga.

Fora que é bem mais demorado, as pessoas chegam a marcar entrevista e acabam nem comparecendo. É um processo desgastante, não tem como comprovar esse comprometimento.

TopMídiaNews: Já que o download é gratuito, como vocês pretendem monetizar o serviço?

Primeiramente, através da parceria com instituições que oferecem cursos na área de gastronomia. Essas pessoas recebem alerta de novos cursos, o que agrega mais ainda ao currículo dela.

TopMídiaNews: E os profissionais que já estão empregados, eles permanecem no ‘catálogo’?

Aí essa pessoa vai ter a opção de marcar lá que estou empregado, para não se queimar com o empregador. Ela pode ‘bloquear’ o bate-papo ou ficar disponível para receber outras propostas, fica a critério dela.