Menu
sábado, 28 de maio de 2022 Campo Grande/MS
TOP MIDIA INSTITUCIONAL SUPER BANNER
Geral

Bebê que havia sido declarada morta ao nascer recebe alta de hospital

Bebê foi encontrado horas com vida, horas depois, em uma área de descarte da instituição

14 novembro 2018 - 11h24Por Da redação / Gaúcha ZH

A bebê de um ano e nove meses que teve o óbito declarado ao nascer e depois foi encontrada com vida no setor de descarte do Hospital Universitário de Santa Maria (Husm) e que foi transferida em setembro para o Hospital da Criança Santo Antônio vai poder retornar para casa em Santa Maria. Bianca Vitória Silbershlach Cézar, que passou por mais de duas dezenas de cirurgias desde que nasceu, recebeu alta da UTI após responder bem ao procedimento da colocação de um novo dreno que realizou a drenagem do liquor desde o cérebro até a região torácica.

Apesar de poder retornar para casa, Bianca, que sofre de microcefalia – quando o cérebro é menor do que o normal – e hidrocefalia – quando há acúmulo de líquido no crânio, que impede o desenvolvimento cerebral –, vai precisar de acompanhamento médico com diferentes especialistas.

Mesmo sabendo de todas as dificuldades que a filha ainda vai enfrentar, Tieli Martins Silbershlach, de 32 anos, está muito contente.

— Estamos muito felizes e ansiosos. Ela está bem e agora vamos poder voltar para casa. Sei que a paralisia dela é muito severa e que tudo indica que não vai poder andar e falar, mas, nesse momento, eu só consigo pensar em chegar em Santa Maria e conseguir organizar toda a nossa vida. É muito doloroso saber disso, mas vamos nos esforçar ao máximo para que ela tenha o tratamento que precisa. Inclusive já entramos com um pedido no Ministério Público de fisioterapia a domicílio, e esperamos uma resposta rápida, pois essa é a maior necessidade dela — conta. O próximo retorno de Bianca à Porto Alegre acontece em 26 de novembro.

O caso de Bianca ganhou notoriedade há alguns meses, quando os pais dela, a dona de casa Tieli e o borracheiro Marcos Renato dos Santos Cézar, 31 anos, resolveram tornar público o episódio ocorrido em fevereiro de 2017 no Husm. Com pressão alta, Tieli passou por uma cesariana de emergência quando contava 34 semanas de gestação, e o óbito da criança, por parada cardíaca, foi atestado em seguida.  De acordo com o Husm, foram tentadas as manobras de reanimação habituais pelo dobro do tempo previsto. O bebê foi encontrado horas depois, com vida, em uma área de descarte da instituição.

Em 11 de outubro, a Comissão de Análise de Óbitos e Biópsias e o Comitê de Ética do Husm tomaram o depoimento da equipe responsável pelo parto. Como conclusão, divulgou-se que não foram encontrados erros aparentes nos procedimentos de médicos e enfermeiros. 

Uma série de procedimentos e processos aberta em diferentes esferas ainda tenta esclarecer o que aconteceu no nascimento de Bianca.