Menu
sábado, 18 de setembro de 2021 Campo Grande/MS
Geral

Contra Bolsonaro: caminhoneiros preparam greve para dia 26, mas setor está 'rachado'

Grupos querem redução no preço dos combustíveis

20 julho 2021 - 17h19Por Thiago de Souza

Entidades que representam caminhoneiros de todo o País, organizam uma greve para o próximo 26 de julho deste ano. A ideia é cobrar promessas não cumpridas do governo Bolsonaro, mas há muita divisão entre os profissionais. 

Conforme o UOL, as reivindicações são a queda dos preços dos combustíveis, a implantação de um piso mínimo e a liberação da cobrança de pedágio para veículos sem carga. 

José Roberto Stringasci, presidente da Associação Nacional do Transporte no Brasil, relembra que em fevereiro deste ano houve uma tentativa frustrada de paralisação. À época, lideranças entendiam que o protesto tinha cunho político e não participaram. 

“Temos muitas entidades que na outra oportunidade foram contra a paralisação e dessa vez estão a favor. Viram que se não fizermos algo, a categoria do caminhoneiro autônomo será extinta”, avalia José Roberto. 

Os organizadores do ato apostam que a adesão será grande, já que a insatisfação dos caminhoneiros com o governo só aumenta, segue o UOL. A articulação das lideranças é feita pelo WhatsApp. 

O presidente do Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Carga, o CNTRC, Plínio Dias, disse que a entidade já vem alertando sobre os problemas enfrentados. 

“Tivemos uma reunião no dia 29 com o presidente da Petrobras, general Silva e Luna, para mostrar nossa preocupação com o preço dos combustíveis’’, disse o dirigente. 

“O que tivemos desde então foi um novo aumento”, lamentou Dias. 

Dias destaca que os motoristas não enxergam sentido na justificava do governo sobre os preços do diesel, que é de culpar os governadores pela alta carga tributária nos combustíveis. 

Vinga?

Ainda segundo o UOL, Junior Almeida, presidente do Sindicato dos Transportadores Autônomos de Carga de Ourinhos e Região, acredita que a paralisação terá pouca adesão. 

“Não há união nem para ajudar um companheiro na estrada, como vão falar em greve?”, criticou ele, em vídeo publicado no Instagram.