tce agosto
Menu
terça, 11 de agosto de 2020
Geral

Criança pede ajuda a PM após pai ameaçar mãe grávida com caco de vidro

Menino de 7 anos levou os policiais ao endereço onde ocorria a violência

12 julho 2019 - 11h33Por G1/DF

Uma criança de 7 anos pediu ajuda a policiais militares após ver a mãe, grávida de quatro meses, ser ameaçada pelo pai. O caso ocorreu em Samambaia, no Distrito Federal. O homem, que usava um caco de vidro para fazer as ameaças, foi detido e liberado em seguida.

Segundo a Polícia Militar, o menino contou o caso a PMs que se aproximavam do endereço onde ocorria a violência. Ele teria dito aos militares que a mãe estava grávida e que o pai passou a madrugada quebrando o telhado e as portas da casa, ameaçando matar a mulher com um pedaço de garrafa de vidro.

A criança levou os militares até o endereço. No local, os policiais encontraram o suspeito, que é ex-marido da mulher. Aos PMs, a vítima disse que o homem a ameaçava repetidamente.

“Vou te matar, arrancar o bebê que você tem na barriga e comer", teria dito o suspeito, segundo a ocorrência.

De acordo com a PM, a ex-mulher afirmou que o agressor é usuário de drogas. O suspeito, que não teve a identidade revelada, foi levado para a 26ª Delegacia de Polícia (Samambaia) e em seguida liberado, porque não houve flagrante.

A ocorrência foi registrada como ameaça e dano no contexto Lei Maria da Penha (lei 11.340/06). A mulher já pediu medidas protetivas de urgência.

Leia Também

TJ diz que recursos de reprovados em concurso da Polícia Civil viraram 'farra'
Cidades
TJ diz que recursos de reprovados em concurso da Polícia Civil viraram 'farra'
De base e oposição: políticos de MS se unem contra tratamento com ozônio no ânus
Política
De base e oposição: políticos de MS se unem contra tratamento com ozônio no ânus
Enquanto te pedem pra ficar em casa, curtem a vida na Europa e fazem academia
Tema Livre
Enquanto te pedem pra ficar em casa, curtem a vida na Europa e fazem academia
Lei municipal inclui nove serviços como essenciais e não podem parar na pandemia
Cidade Morena
Lei municipal inclui nove serviços como essenciais e não podem parar na pandemia