Menu
domingo, 28 de fevereiro de 2021
Geral

Dagoberto é 1º de MS a assinar CPMI para investigar ‘omissão’ de Bolsonaro em Manaus

Após mortes por asfixia em hospitais da capital do Amazonas, o pedetista quer investigações sobre atuação do governo federal

20 janeiro 2021 - 17h00Por Rayani Santa Cruz

Manaus pediu socorro pela falta de oxigênio e dezenas de óbitos que poderiam ser reversíveis. Neste cenário, o deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT) vai assinar o pedido de instauração de CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito) para apurar a conduta do governo de Jair Bolsonaro.

Ele é o primeiro parlamentar sul-mato-grossense a divulgar que irá assinar o requerimento. Os líderes da Rede no Senado, Randolfe Rodrigues (AP), e do PSB na Câmara, Alessandro Molon (RJ), começaram essa mobilização. São necessárias 171 assinaturas na Câmara Federal e 27 no Senado para a instauração da investigação.

“Vou assinar o requerimento que pede a instalação de uma CPMI para investigar a conduta do governo Bolsonaro na condução do enfrentamento à Covid-19 e no caos em Manaus, com a falta de oxigênio hospitalar que culminou na morte de várias pessoas por asfixia”, destaca.

Dagoberto afirma que “o governo federal tem, sistematicamente, violado os direitos fundamentais básicos de toda a população brasileira à vida e à saúde”.

Ele, que antes mesmo das eleições de 2018 já tecia críticas a Bolsonaro, cita que o presidente cometeu crime de responsabilidade. “Esse desgoverno deve responder por crime de responsabilidade por toda a incompetência e negligência no combate à pandemia. Enquanto o mundo inteiro corre atrás da vacina, Bolsonaro desdenha do imunizante, o que constitui um total descaso para com todas as mais de 200 mil vítimas da doença.”

Os outros sete deputados federais ainda não divulgaram opiniões sobre o assunto. Provavelmente Vander Loubet (PT), que também é de oposição, vá assinar.