Menu
Busca sábado, 30 de maio de 2020
Gov - Compre de Casa
Geral

Ford anuncia fechamento de fábrica de São Bernardo e saída do mercado de caminhões da América do Sul

Linhas Cargo, F-4000, F-350 e Fiesta serão comercializados até o final dos estoques.

19 fevereiro 2019 - 17h15Por G1

A Ford anunciou nesta terça-feira (19) que vai fechar a fábrica de São Bernardo do Campo (SP) neste ano e que vai parar de vender caminhões na América do Sul.

De acordo com a marca, a decisão é "um importante marco no retorno à lucratividade sustentável de suas operações na América do Sul".

Com o fim da produção em São Bernardo, o Fiesta e as linhas Cargo, F-4000 e F-350, deixarão de ser vendidos quando terminarem os estoques.

“A Ford está comprometida com a América do Sul por meio da construção de um negócio rentável e sustentável, fortalecendo a oferta de produtos, criando experiências positivas para nossos consumidores e atuando com um modelo de negócios mais ágil, compacto e eficiente”, disse Lyle Watters, presidente da Ford América do Sul.

Segundo comunicado divulgado pela fabricante, a medida foi tomada após vários meses de busca por alternativas, que incluíam parcerias e até a venda da operação. O volume excessivo de investimentos para atender às necessidades do mercado e os crescentes custos com itens regulatórios teriam tornado inviável manter um "negócio lucrativo e sustentável".

Entre as iniciativas anunciadas, estão ainda à redução em mais de 20% dos custos referentes ao quadro de funcionários e à estrutura administrativa em toda a América do Sul; o fortalecimento da linha de produtos com ênfase em SUVs e picapes; e a expansão de parcerias globais, como a recente aliança com a Volkswagen.

Consultada pelo G1, a Ford disse que ainda não mensurou a quantidade de funcionários afetados pelo encerramento das atividades da fábrica, mas que haverá um "número significativo". Na unidade trabalham cerca de 3 mil pessoas de diversos outros setores.

O Sindicato dos Metalúrgicos disse que a decisão já era esperada. De acordo com o presidente do sindicato, Aparecido Inácio da Silva, já havia um processo de negociações que indicava para o fechamento da fábrica.

"Quando um negócio vive em busca de benefícios, se sacrificando ou buscando alternativas pra sobreviver, não há como tornar o saldo positivo", apontou Aparecido.

Custo da saída

A Ford prevê uma despesa extra de US$ 460 milhões (cerca de R$ 1,7 bilhão a câmbio atual) por conta do encerramento das operações.

Desses, cerca de R$ 360 milhões serão gastos na compensação de funcionários demitidos, concessionárias e fornecedores e vão impactar o caixa da empresa. Outros R$ 100 milhões estão relacionados à depreciação acelerada e amortização de ativos fixos – perda de valor de máquinas e estruturas que deixarão de ser utilizadas, por exemplo.

A companhia diz que a maior parte dessas despesas serão contabilizadas em 2019 e que os valores já estão inclusos nos US$ 11 bilhões que ela prevê gastar para reestruturar seus negócios no mundo todo. Desses, R$ 7 bilhões devem afetar o caixa.

Leia Também

Motoristas de app dobram horas de trabalho na pandemia, mas faturamento está em queda livre
Cidade Morena
Motoristas de app dobram horas de trabalho na pandemia, mas faturamento está em queda livre
Homem é encontrado morto embaixo de ponte
Polícia
Homem é encontrado morto embaixo de ponte
Aposta de Campo Grande leva mais de R$ 800 mil na lotomania
Cidade Morena
Aposta de Campo Grande leva mais de R$ 800 mil na lotomania
Prefeito publica lei que autoriza corredor gastronômico na Rua José Antônio Pereira
Cidade Morena
Prefeito publica lei que autoriza corredor gastronômico na Rua José Antônio Pereira