(67) 99826-0686
Origem - entregas

Invasões de grupos sem-terra diminuem em 33%, afirmam movimentos sociais

Invasões de terrras

26 DEZ 2013
O Estado de São Paulo
19h53min
Divulgação

A CPT (Comissão Pastoral da Terra) divulgou no início da semana (23), que o número de invasões do movimento dos grupos sem-terra caiu 33%, em comparação ao mesmo período de 2012. A comissão que registra e acompanha os conflitos fundiários do país desde 1985, informou que de janeiro a junho deste ano foram registradas 109 ocupações contra 162, no mesmo período de 2012.

 

A denúncia foi feita pelos movimentos sociais que acusam o governo da presidente Dilma Roussef de paralisar a reforma agrária e desacelerar as ocupações de áreas rurais durante o ano. No primeiro semestre o MST atuou em 42 ocupações - 40% do total. De julho a dezembro, o movimento realizou jornadas de luta em todo o País, com a invasão de prédios públicos, bloqueio de rodovias e liberação de praças de pedágio, mas havia promovido até meados de dezembro apenas 13 invasões em áreas rurais.

 

Levantamento feito pelo Estado indica que a queda no segundo semestre foi ainda maior - os dados da CPT ainda não foram contabilizados. Os números mostram que o Movimento dos Sem-Terra (MST), força mais importante da luta pela reforma agrária no País, reduziu a invasão de propriedades rurais.

 

O ano de 2013 deve fechar com o menor número de ocupações de grandes fazendas feitas pelo MST na última década - eram 55 até o último dia 15. No ano passado, o movimento esteve à frente de 126 das 238 ocupações registradas no País. Em 2011, o MST respondeu por 113 das 200 ocupações de terras, e no último ano do governo Lula, em 2010, o movimento protagonizou 111 invasões. No ano passado, o número de ocupações promovidas por grupos indígenas subiu para 46. Nos primeiros seis meses deste ano, esse número chegou a 24 invasões, o que indica que o ritmo não diminuiu. / J. M. T.

 

Fonte: O Estado de São Paulo

Veja também