Menu
terça, 11 de agosto de 2020
Geral

Maioria de domicílios irregulares no país tem apenas um pavimento

População

06 novembro 2013 - 10h05Por Agência Brasil

A grande maioria dos domicílios em aglomerados irregulares do país não tem nenhum espaçamento entre as construções (72,6%) e possui apenas um pavimento (64,6%), com destaque para as regiões metropolitanas de Natal e Maceió, onde esse padrão predomina em mais de 90% dos domicílios. Essa e outras informações sobre moradias irregulares – como favelas e invasões, foram divulgadas hoje (6) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na Pesquisa Censo 2010 – Informações Territoriais: Aglomerados Subnormais.

O estudo classifica de aglomerados subnormais o conjunto de, no mínimo, 51 unidades habitacionais carentes de serviços públicos essenciais, em terreno de propriedade pública ou particular, em geral, de forma desordenada ou densa. Segundo a pesquisa, o Brasil tinha em 2010, mais de 3,2 milhões de domicílios particulares permanentes em 6.329 aglomerados.

Nas regiões Norte, Sul e Centro-Oeste foi registrada a predominância de moradias irregulares com apenas um pavimento e espaçamento médio entre si, como quintal ou pequeno terreno dividindo uma casa da outra. Esse padrão foi encontrado em mais de 90% dos domicílios de Rio Branco e de Porto Velho, mais de 80% dos domicílios em regiões de desenvolvimento integrado de Teresina e do Distrito Federal e entorno, e nas regiões metropolitanas de Curitiba, Florianópolis e do Vale do Rio Cuiabá.

As regiões Nordeste e Sudeste, por sua vez, foram as que apresentaram maiores percentuais de domicílios predominantemente sem espaçamento entre si e com dois ou mais pavimentos, sobretudo, nas regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador. Ainda segundo o estudo, nessas regiões a maioria das moradias está em áreas não propícias à urbanização regular, como encostas e locais onde o solo possui menor valorização.

A pesquisa revelou também que 12% dos domicílios brasileiros em aglomerados irregulares ficam às margens de córregos, rios ou lagos e lagoas. O Acre se destacou com mais de 90% das moradias em aglomerados nesse tipo de área. A região metropolitana de São Paulo aparece com a maior quantidade absoluta de residências em aglomerados nessa situação (148.608), em uma área de 2.571 hectares. A região também concentra o maior número de moradias precárias em aterros sanitários, lixões e áreas contaminadas (1.984 domicílios), em áreas próximas a gasodutos e oleodutos (2.282), linhas de transmissão (10.816) e em áreas de preservação ambiental (10.213).

Leia Também

Com morte de idosa, vidas perdidas para a covid chegam a 65 em Corumbá
Cidades
Com morte de idosa, vidas perdidas para a covid chegam a 65 em Corumbá
Brasil volta a ter mais mortes pela covid e total chega a 103 mil
Geral
Brasil volta a ter mais mortes pela covid e total chega a 103 mil
Mulher de pastor diz que não estava em 'aniversário da covid' em Igreja no Campo Alto
Cidade Morena
Mulher de pastor diz que não estava em 'aniversário da covid' em Igreja no Campo Alto
Homem de 58 anos é achado morto em distrito de Dourados
Interior
Homem de 58 anos é achado morto em distrito de Dourados