Menu
terça, 27 de outubro de 2020
Geral

Mais um operário morre em acidente na obra do estádio de Manaus

Tragédia

14 dezembro 2013 - 17h46Por Schimene Weber

Na madrugada deste sábado (14), mais uma tragédia envolvendo as obras da Copa de 2014 aconteceu: na Arena da Amazônia, em Manaus, mais um operário morreu. Ele estava trabalhando na instalação dos refletores do estádio.

A vítima, Marcleudo de Melo Ferreira, de 22 anos, estava no turno da madrugada quando sofreu uma queda do local onde estava. Ele chegou a ser encaminhado para o Hospital 28 de Agosto, na capital amazonense, mas não resistiu aos ferimentos. 

De acordo com a construtora Andrade Gutierrez, o operário caiu de uma altura de 35 metros. Ele era funcionário de uma empresa subcontratada que presta serviços na montagem da cobertura do estádio.

Histórico - Em março deste ano, um funcionário que caiu de uma altura de 5 metros e sofreu traumatismo craniano, na mesma obra, morreu. Ele tentava passar de uma coluna para o andaime, mas acabou se desequilibrando.

Até agora, cinco operários já morreram em obras de estádios da Copa do Mundo de 2014. Além das duas vítimas de Manaus, outros dois morreram na construção do estádio do Corinthians em novembro deste ano e, em 2012, um outro morreu ao cair de 30 metros de altura, no Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília.

Leia Também

Sem diversão durante a pandemia, crianças do projeto Recriar se divertem em parque recreativo
Cidade Morena
Sem diversão durante a pandemia, crianças do projeto Recriar se divertem em parque recreativo
Antes promissor, partido de Amoêdo fracassa em pesquisas de Campo Grande e mais sete capitais
Política
Antes promissor, partido de Amoêdo fracassa em pesquisas de Campo Grande e mais sete capitais
Nelsinho chega à Rússia para entregar pedido de Bolsonaro para libertar brasileiro preso
Cidade Morena
Nelsinho chega à Rússia para entregar pedido de Bolsonaro para libertar brasileiro preso
Enfermagem repudia 'reajuste zero' e negocia com Santa Casa para evitar greve
Cidade Morena
Enfermagem repudia 'reajuste zero' e negocia com Santa Casa para evitar greve