Menu
sábado, 16 de janeiro de 2021
Geral

Mandetta chama Bolsonaro de genocida, mas é flagrado em praia e sem máscara

No local havia dezenas de barracas e um rapaz perto, também sem a proteção

13 janeiro 2021 - 20h21Por Thiago de Souza

O ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, foi flagrado em uma praia, sem o uso da máscara de proteção contra a covid-19. A imagem atribuída a ele passou a circular nas redes sociais e gerou revolta de internautas, já que ele é defensor do isolamento social. 

A imagem mostra Mandetta sentado em uma cadeira, aparentemente mexendo no celular. No momento da foto não há aglomeração, mas há dezenas de barracas armadas no local. Perto dele há um rapaz que tirou a máscara para comer algo. 

O ex-ministro deixou o governo Bolsonaro justamente por ser defensor do isolamento social geral, ao contrário do que desejava o presidente, que pregava o isolamento vertical (apenas grupos de risco e idosos). 

Durante todo o segundo semestre, Mandetta foi aos principais jornais e emissoras do País criticar o presidente, que não cumpria isolamento e ainda se aglomerava, sem uso de máscara. Nas várias situações, o sul-mato-grossense chamou o presidente de genocida e o responsabilizou pelas milhares de mortes na pandemia. 

Entramos em contato com Mandetta pelo WhatsApp, mas ele não respondeu. Outros defensores do isolamento social e críticos do presidente da República, como o youtuber Felipe Neto, a ex-BBB Telma Assis e Bruna Marquezine também quebraram o isolamento social.