TCE JUNHO 2022
TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
quarta, 29 de junho de 2022 Campo Grande/MS
GOV ENERGIA ZERO JUNHO 2022
Geral

Manutenção de ar-condicionado é reconhecida como essencial e pode atuar normalmente

A decisão foi repassada, após o Conselho enviar ofícios ao governo federal

30 abril 2020 - 15h40Por Dany Nascimento

O Conselho Nacional de Climatização e Refrigeração – CNCR recebeu a informação de que a área poderá dar continuidade às suas atividades, por serem reconhecidas pelo ministério da Economia como essenciais ao Estado.

A decisão foi repassada, após o Conselho enviar ofícios ao governo federal.  “Havíamos solicitado a elaboração de um protocolo para antes da reabertura das atividades econômicas, mas esse reconhecimento nos satisfaz”, disse o presidente da Federação Nacional de Engenharia Mecânica e Industrial – Fenemi, eng. mec. Marco Aurélio Candia Braga. A Fenemi e outras 13 entidades integram o Conselho Nacional.

De acordo com Marco, o decreto 10.329/2020 acresce ao rol das atividades e serviços essenciais os de produção, distribuição, comercialização, manutenção, reposição, assistência técnica, monitoramento e inspeção de equipamentos de infraestrutura, instalações, máquinas e equipamentos em geral, incluídos elevadores, escadas rolantes e equipamentos de refrigeração e climatização.

Devido a pandemia de Coronavírus,  pesquisadores voltam seus estudos para formas de controlar os surtos da covid-19. Na China, uma pesquisa, feita pelo Instituto Pasteur, na França,  sugere que sistemas de refrigeração e ventilação, sobretudo em restaurantes, podem ser um vetor para a propagação do coronavírus, conforme o direção do fluxo do ar-condicionado.

 Antes mesmo de a pesquisa haver sido divulgada, as entidades do CNCR  solicitaram a criação de um protocolo para a reabertura das atividades econômicas ao Governo Federal. 

“Essa decisão vai nos possibilitar colocar em prática o que estava no papel. Temos normas da ABNT, além da Lei nº 13.589/2018 que demonstram a necessidade da renovação de ar. Se o governo não fiscalizasse, ninguém faria, embora as pessoas estejam mais conscientes, querendo saber disso em casa e nas empresas”, afirmaMarco Aurélio.

Da indústria ao “split”

Para o engenheiro mecânico, a correta renovação de ar é necessária em carros, na casa, na indústria, em hospitais, supermercados, restaurantes e em auditórios, por exemplo, sendo respaldada pela atuação da Engenharia de Segurança do Trabalho. “A indústria de algodão, por exemplo, é refrigerada devido à segurança para o manuseio do algodão e para o conforto do funcionário. Então, já havíamos encaminhado documentos a esse respeito, por meio do Conselho Nacional. Mas, de modo geral, consideramos essencial também pela necessidade de sistemas de tecnologias da informação e comunicação que não podem funcionar sem manutenção”.

Para o presidente da Fenemi, “não sendo possível insuflar ar, dispersá-lo, é preciso que se deixe portas e janelas abertas em parte do dia. O aparelho ‘split’ pega o ar do ambiente e refrigera e devolve para o ambiente, não tem renovação de ar. Por isso, as pessoas às vezes podem passar mal em ambientes fechados, por não haver uma renovação de ar. A umidade também precisa ser controlada. E a temperatura ideal é de 22 a 23º. O uso de refletores é indicado para dispersar o fluxo direto do ar, que é prejudicial, e é sobre isso que a pesquisa se refere”, comenta o presidente da Fenemi.

A climatização artificial adequada por meio dos condicionadores e circuladores de ar (ventiladores) hoje mais utilizados em salas de escritório ou em residências é corroborada pelo conselheiro federal Ernando Alves de Carvalho Filho. “Semanalmente, podemos usar água corrente com uma escova para limpar a tela frontal dos aparelhos condicionadores de ar, split ou de janela”, diz. Também engenheiro mecânico, ele considera que a manutenção correta desses equipamentos contribui para a renovação do ar, impedindo que o adoecimento por fungos, ácaros e bactérias. “Devemos estimular a divulgação desse conhecimento, inclusive por uma campanha, quem sabe, até criando um selo de qualidade da análise do ar, semelhante ao selo Procel que vemos nos condicionadores”.

O conselheiro federal informa ainda as seguintes dicas e considerações sobre o uso desses condicionadores de ar do tipo "split” e nos condicionadores veiculares:

•    Condicionadores de ar devem ser limpos semanalmente por meio de uma lavagem simples de seus filtros;

•    A renovação natural do ar deve ser diária, permitindo a entrada da luz solar no ambiente de climatização artificial;

•    Nos veículos com filtro de cabine, a troca deve ser feita em intervalos de seis meses ou intervalos menores (dependendo do local por onde se trafega);

•    A circulação de ar a 22 ou 23 º permite economia de energia e maior eficiência.