TJMS SETEMBRO
Menu
quinta, 16 de setembro de 2021 Campo Grande/MS
GOV Set - mais social
Geral

Menino de 10 anos morre brincando e família descobre doença rara

A criança possuía a doença, mas ninguém suspeitava por não haver sintomas aparentes

14 setembro 2021 - 08h34Por Rayani Santa Cruz

Nicolas Rafael, de 10 anos, que morreu após ter um mal súbito enquanto brincava com amigos em Cubatão (SP) tinha uma doença rara denominada miocardiopatia hipertrófica assimétrica. Porém, a doença só foi descoberta após a morte dele, já que esta miocardiopatia pode se desenvolver de forma silenciosa.

Segundo o G1, o  menino passou mal enquanto brincava, chegou a pedir água para os amigos, ficou fraco e desmaiou. As crianças chamaram os responsáveis e a família o levou para o Pronto Socorro Infantil de Cubatão. Eles chegaram no local pouco antes de 0h, porém, a 0h50, a morte do menino foi confirmada.

A princípio, os médicos relataram à família que a morte havia sido motivada por causas naturais. No entanto, após exames, foi constatado que ele teve uma insuficiência cardíaca e um edema agudo pulmonar bilateral, que causa acúmulo de líquido no tecido pulmonar, desencadeado pela miocardiopatia hipertrófica assimétrica.

O cardiologista Luiz Cláudio Behrmann Martins, especialista em arritmia cardíaca da Santa Casa de Santos, explica que nesta doença ocorre a significativa hipertrofia (crescimento) da região septal do coração, além de alguns casos ocorrer a dilatação dos ventrículos - câmaras do coração que bombeiam sangue para a circulação sistémica, no caso do ventrículo esquerdo, e para a circulação pulmonar, com relação ao ventrículo direito.

"Na verdade, afeta a região do septo, que é a parte que divide as cavidades do coração. É a região septal do músculo que cresce, e isso pode obstruir o fluxo de saída do ventrículo esquerdo, que é o que faz desenvolver os sintomas relacionados a insuficiência cardíaca no paciente", diz.