Menu
terça, 18 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Geral

Messi se defende de acusações e questiona contradições na Justiça

08 outubro 2015 - 17h18Por UOL Esporte

A empresa que cuida dos direitos de imagem de Lionel Messi, astro do Barcelona, divulgou comunicado para explicar a situação do argentino diante das acusações do Tribunal Superior de Justiça da Catalunha por delitos de fraude fiscal. O atacante corre risco de pegar 22 meses de detenção, informaram autoridades espanholas nesta quinta-feira (08). Através de nota, o estafe do argentino informa que iniciará defesa.

A Leo Messi Management também questiona contradições no caso. "O Fisco não acusou o argentino de qualquer delito fiscal, mas sim discutiu amplamente os motivos que devem ser apontados para não acusá-lo". O comunicado vai além: "O Tribunal Superior de Justiça contradiz a solicitação e o critério do Fisco".

O estafe de Messi assegura que a defesa "terá a oportunidade de apresentar suas alegações ao juiz nas próximas semanas". A nota informa que "as provas que consideram oportunas" serão utilizadas, afim de mostrar que "a posição do Fisco, de não acusar Messi, é a correta".

Na última terça-feira, o Fisco espanhol pediu a prisão do pai de Lionel Messi, Jorge, por sonegação fiscal. O craque argentino foi considerado inocente.

O juiz encarregado de analisar o pedido do Fisco, por sua vez, rejeitou investigar apenas o pai do jogador pela criação de empresas de fachada para fraudar 4,16 milhões de euros, procedentes do uso de imagem do atleta entre 2007 e 2009, em paraísos fiscais como Uruguai, Suíça e Belize.

A Procuradoria Geral não aceitou as alegações de que o jogador não sabia como era feita a gestão de seu patrimônio nem estaria ciente das ações de Jorge Horácio. Desta forma, Messi foi considerado coautor dos crimes citados. Por ser considerado o principal responsável pelos delitos, o pai do atleta pode pegar 18 anos de prisão.

"Não se deve considerar impune quem usa terceiros para situações fraudulentas", afirmou a procuradoria.

Jorge Horacio é acusado de ter iniciado o "mecanismo fraudulento" quando o jogador ainda era menor de idade. Após 2005, quando Messi completou 18 anos, o pai "seguiu tomando todas as decisões relativas à exploração econômica" dos direitos de imagem do atacante do Barcelona.

Em depoimento, Jorge Horácio assumiu toda a responsabilidade pela gestão tributária dos rendimentos do filho - tese aceita pelo Fisco espanhol, que declarou que a participação do atleta foi "meramente formal".

Veja comunicado de Messi sobre o caso:

Tribunal de Justiça tenta contradizer o Fisco no caso Messi



A empresa que cuida dos direitos de imagem de Leo Messi, a Leo Messi Management, diante das informações divulgadas hoje sobre a solicitação do Tribunal Superior de Justiça da Catalunha de pretender acusar Lionel Messi por fraude fiscal nos anos de 2007, 2008 e 2009, quer manifestar:



- O Fisco não acusou Lionel Messi no último 25 de setembro de qualquer delito fiscal. Em sua declaração, o Fisco discutiu amplamente os motivos que devem ser apontados para não acusá-lo.



- O Tribunal Superior de Justiça contradiz a solicitação e o critério do Fisco. A declaração do Tribunal Superior de Justiça foi apresentado no dia 8 de julgo, enquanto a do Fisco é de data posterior, 25 de setembro.



- A pena solicitada pelo Tribunal Superior de Justiça não demanda seu cumprimento efetivo.



Nas próximas semanas, a defesa de Lionel Messi terá a oportunidade de apresentar suas alegações ao juiz, e as provas que considera oportunas, que corroboram com a posição do Fisco, de não acusar Lionel Messi, é a correta.