Menu
sábado, 25 de setembro de 2021 Campo Grande/MS
Geral

Mulher faz discurso racista e homofóbico em igreja e polícia investiga

Caso está sendo investigado; no vídeo, mulher pede que as pessoas parem de compartilhar coisa de gente preta e gay

03 agosto 2021 - 09h11Por Nathalia Pelzl

A pregação de uma mulher em uma igreja evangélica de Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, repercutiu nas redes sociais, nesta segunda-feira (2), por conter críticas feitas a fiéis que defendem causas políticas, raciais e LGBTQIA+. 

As informações são do G1. Ainda segundo o site, a Polícia Civil abriu inquérito após analisar o discurso de Kakau Cordeiro, membro da Igreja Sara Nossa Terra.

O delegado titular da 151ª DP, Henrique Pessoa, disse que há um "teor claramente racista e homofóbico, o que configura transgressão típica na forma do artigo 20 da Lei 7716/87".

"De tal modo que a pena é de 3 a 5 anos com circunstâncias qualificadoras por ter sido feita em mídias sociais e através da imprensa. De tal modo que já foi instaurado inquérito policial pelo crime de intolerância racial e homofóbica, de acordo com a recente previsão do STF", disse o delegado.

A Igreja Sara Nossa Terra informou que não irá se pronunciar. A igreja chegou a publicar o vídeo em seu perfil no Instagram, mas a página saiu do ar.

O compartilhamento feito pelo ex-deputado estadual Wanderson Nogueira (PDT) já teve mais de 18 mil visualizações e centenas de comentários com críticas ao discurso.
"Tenho certeza que esse não é o pensamento cristão. Machuca ouvir(...)", disse o político em sua postagem.

A vereadora de Nova Friburgo Maiara Felício (PT) se manifestou em seus stories no Instagram.

"Um vídeo extremamente intolerante, dentro de uma instituição religiosa (...) A gente quer fazer um movimento gigante para mostrar que em Nova Friburgo a intolerância não vai reinar", disse.

O Coletivo Negro de Nova Friburgo também divulgou nota repudiando a atitude.