Menu
terça, 07 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
CONSTRUINDO O SABER 29/11 A 29/12
Geral

Operadoras de turismo estão em Corumbá para promover o Pantanal

08 abril 2016 - 09h37Por Diário Corumbaense

Desde quarta-feira (06) estão em Corumbá 15 grandes operadoras de turismo internacional e cinco jornalistas estrangeiros que estão participando do Adventure Week Brazil – Bonito & Pantanal. O evento é organizado pela Adventure Travel Trade Association (ATTA) uma das principais organizações mundiais promotora do comércio de turismo de aventura e ecoturismo.

O objetivo é promover Corumbá e Bonito no cenário internacional através de compra de pacotes de turismo com destino a essas cidades e divulgação desses municípios por meio de sites, blogs, matérias televisivas, revistas e catálogos ao público mundial. Na tarde de quinta-feira (07), eles partiram em um cruzeiro no Pantanal. Em entrevista no Sesc Corumbá, organizadores do evento explicaram como funciona o Adventure Week.

Dos Estados Unidos vieram as jornalistas Masovaida Salemo Morgan, da Lonely Planet, maior editora de guias de viagem do mundo, e Elisabeth Avery Stonich. Da França vieram dois jornalistas do site i-trekkings.net, especializado em turismo, e do Canadá veio a jornalista Suzanne Elizabeth Morphet, do S.M.W. Photography.

Com exceção da jornalista da Lonely Planet, os demais são freelancers, escrevem para empresas com alcance internacional como a National Geographic, por exemplo. Além desses meios, a Adventure Travel News (adventuretravelnews.com), o site jornalístico da ATTA, fará matéria sobre o evento e divulgará as duas cidades brasileiras. Dois funcionários da ATTA também estão no evento e disponibilizarão vídeos e fotos.

Os jornalistas foram escolhidos pela equipe da ATTA e pela Embratur e vários critérios foram levados em conta e um deles foi de que os veículos de comunicação tivessem alcance mundial e fossem especializados em turismo de aventura.

“No alcance de mídia, a gente conta também com o público do trade turístico porque a ATTA tem mais de 1.200 associados no mundo inteiro que trabalham com ecoturismo e turismo de aventura. Eles já estão sabendo da Adventure Week no Brasil. Recebemos muitas inscrições para chegarmos ao final com 15 operadores de turismo”, explicou Diego Arelano, técnico da diretoria de produtos e destinos da Embratur.

Gabi Zampolli, representante da ATTA na América Latina, lembrou da marca internacional Eagle Creek, que comercializa malas de viagem e vai vincular o Pantanal aos seus produtos. Corumbá e Bonito serão fundo do catálogo da marca, atingindo um grande número de pessoas.

O presidente da ATTA, Shannon Jay Stowell, que também participa do evento, afirmou que a organização está no Pantanal porque um dos principais setores que mais tem crescido no mundo é o turismo de aventura. Ele afirmou que procura levar ao Adventure Week operadoras de turismo capazes de trazer turistas com alto poder aquisitivo e com pouco poder de danificar o ambiente. Destino como Corumbá e Bonito são perfeitos para o público que o ATTA pretende atrair e esse tipo de turismo deixa cerca de 65% dos investimentos no destino. É o tipo de turista que investe bastante e causa pouco impacto, pelo contrário, ajuda na cultura do local.


Adventure Week é projeto organizado em um ano

O Adventure Week é um projeto que dura cerca de um ano. Começa com diálogos, visita ao local sede do evento, o treinamento dos operadores de turismo da cidade que vai receber esses operadores de turismo internacionais e o ápice do evento, é exatamente a semana que começou na quinta-feira (7) em Corumbá. No domingo, os estrangeiros seguem para Bonito onde haverá rodada de negócios até o dia 14.

“Um dos aspectos importantes é a parte de promoção do evento, de colocar o Pantanal e Bonito no cenário mundial, a parte de capacitação com o pessoal do destino e a parte de comercialização que será na rodada de negócios que vai ter em Bonito onde eles vão conversar com os operadores e começar a comprar os produtos”, explicou Gabi Zampolli.

Ela afirmou que os representantes no marketplace (local onde se faz comércio de bens e serviços virtual ou físico) são incomings brasileiros, que são empresas que têm habilidade de trabalhar no mercado estrangeiro. Eles fazem o pacote geral para serem vendidos no mercado estrangeiro. Os fornecedores de Corumbá, por exemplo, têm parceria com essas empresas que vão representar as operadoras de turismo menores. A ideia é que esses operadores que conseguem vender no mercado internacional possam comercializar o Brasil junto às operadoras estrangeiras.

Karla Cavalcanti, representante da Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul, explicou que os incomings brasileiros estão sendo preparados com informações sobre o Estado. “Eles vão fazer um famtour, vão conhecer também nosso produto aqui para poder vender melhor porque existe uma cadeia de mercado e a gente precisa respeitar ela para poder vender. Essas operadoras que estão vindo aqui têm um tamanho de empresas que eles não vão ficar comprando ‘picadinho’, eles querem comprar às vezes até outro Estado ou outro país na América do Sul, e eles precisam de alguém que possa atendê-lo, que são esses operadoresincomings”, explicou Karla.

Em nível municipal, Luiz Ricardo Julião, secretário executivo e promotor de turismo da Fundação de Turismo, afirmou que o município está fortalecendo redes de mercado desde 2015, com a roda de negócios realizada com cinco grandes operadoras de turismo brasileiras. “As empresas de Corumbá nos indicaram quais eram os seus incomings e nós repassamos isso para o Estado que junto com a Embratur e a ATTA fizeram a seleção de quais iriam participar”, explicou Luiz

O prefeito Paulo Duarte afirmou que o município está começando a profissionalizar o turismo, baseando-se em critérios técnicos, escolhendo pessoas preparadas. “O que nós esperamos disso tudo é algo que consolide nossa região como destino ligado ao turismo, mas muito mais amplo. A gente quer mostrar que Corumbá é muito mais que Pantanal, tem arte, tem cultura, tem gastronomia”, frisou.