Menu
segunda, 25 de outubro de 2021 Campo Grande/MS
Geral

Para salvar bebê, grávida amputa perna após descobrir câncer

Jovem precisar escolher entre abortar e iniciar quimioterapia ou amputar a perna para salvar a gravidez

16 setembro 2021 - 18h25Por Vinicius Costa

Kathleen Osborne, de 28 anos, precisou fazer uma dura escolha em sua vida no quarto mês de gestação após receber um diagnóstico de câncer pela terceira vez.

Em entrevista ao jornal Daily Mail, a britânica contou que recebeu o exame de ressonância magnética sendo informada pelos médicos que ela precisar fazer uma escolha: abortar o bebê e dar início a quimioterapia ou amputar a perna.

A escolha pela decisão não durou um dia e após o questionamento, Kathleen decidiu amputar toda a perna direita para se livrar do câncer ósseo. Após a cirurgia, meses depois, em maio deste ano, a jovem deu à luz a pequena Aida.

A criança nasceu prematura, 8 semanas antes do previsto, por meio de uma cesariana. “Estou feliz por ter decidido perder minha perna porque ela me deu minha filha. Se eu não tivesse amputado naquela época, eu a teria perdido e estaria fazendo quimioterapia, o que poderia nem mesmo ter salvado minha perna no final. Eu não a teria se não fizesse isso, então valeu a pena”.

Mãe pela terceira vez - Hayden de 9 anos e Leo de 5 anos outros dois filhos, ela conta que as crianças questionam a mãe quando a perna do Transformers chegaria.

“Eu sempre quis uma menina e agora ela está aqui, então estou feliz por ter feito isso. Eles também sempre quiseram uma irmã, então foi melhor assim, para ser honesta. Ainda estou muito feliz com minha decisão. Eu disse aos meninos que os Transformers estão construindo para mim uma nova perna, e eles ficam perguntando quando ela vai chegar”, brincou.

Kathleen Osborne teve seu primeiro diagnóstico para câncer quando tinha 11 anos. Naquela ocasião, um caroço doloroso em sua perna direita revelou ser osteossarcoma.

Já em 2016 ela teve seu segundo diagnóstico, quando descobriu que o câncer havia retornado, mas desta vez nos pulmões. Após um ano de tratamento, ela conseguiu ficar completamente recuperada.

Kathleen deu à luz prematuramente depois que uma nova ressonância magnética revelou que o câncer em seus pulmões havia retornado – agora pela quarta vez. Sua equipe médica afirmou que este tumor é inoperável e terminal, então, agora, ela está fazendo tudo o que pode para passar mais tempo com seus três filhos.

“Não sei quanto tempo me resta. Podem ser anos, podem ser apenas meses. Eu só quero fazer quantas coisas eles quiserem. Eles realmente querem ir para a Disneylândia, o que ainda não podemos fazer devido a covid-19, mas espero que possamos no futuro. Contanto que eles tenham memórias comigo e eles se divirtam comigo tanto quanto possível. Posso ir então, contanto que eles estejam felizes”, completou.