(67) 99826-0686

Produtores vão acompanhar reunião que irá definir os conflitos rurais em MS

Conflitos rurais

6 JAN 2014
Aline Oliveira
18h30min
Produtor Rural Ricardo Bacha - Foto: Geovanni Gomes

 

Está marcada para esta terça-feira (7), a reunião entre representantes do Ministério da Justiça, Funai e governo de Mato Grosso do Sul para apresentar a avaliação de preço das áreas invadidas pelos grupos indígenas e as soluções jurídicas que visam firmar acordo entre as partes. A reunião foi marcada anteriormente em 19 de dezembro, porém, a informação oficial é de que foi adiada para levar aos participantes, a continuidade que será dada às negociações em outras regiões brasileiras.

 

O produtor rural e proprietário da fazenda Buriti, localizada na região de Sidrolândia, Ricardo Bacha se diz incrédulo sobre uma definição na reunião de amanhã em Brasília, porém, acompanhará o encontro na capital federal. “Espero sinceramente que não seja mais uma promessa não cumprida e que se chegue a uma conclusão. Quero lembrar que quem propôs a indenização foi o governo e não nós produtores, então que resolvam de uma vez por todas esta situação”, ressaltou.

 

Questionado sobre a situação de revolta dos moradores de Humaitá (AM) contra os indígenas da região, Bacha afirmou que apesar de não existir situação de pedágio aqui no Estado, a indefinição vivida pelos donos de áreas rurais pode levar a uma situação extrema. “Lá existe o pedágio, aqui os produtores estão impedidos de trabalhar na própria terra e isso revolta bastante. Não podemos dizer que acontecerá a mesma coisa, porém, acredito que estamos à beira de outra situação de confronto”, alertou.

 

De acordo com o produtor, os produtores e os indígenas nunca foram adversários, no entanto, a forma como alguns grupos trataram a situação ideologicamente acabou por colocar os dois grupos como opositores. 

Veja também