(67) 99826-0686

São Paulo vai multar consumo excessivo de água

12 FEV 2014
Dirceu Martins
09h28min
Foto: Reprodução

Após aprovar incentivos, na forma de descontos, para quem reduzir o consumo de água na Grande São Paulo, o Comitê anticrise do governo estadual endurece suas ações para evitar o racionamento nas cidades abastecidas pelo Sistema Cantareira e proporá que as prefeituras adotem medidas efetivas para coibir o desperdício. Entre as medidas estão a aplicação de multas e o estímulo, por meio de cobrança diferenciada, ao consumo racional por indústrias e grandes produtores rurais.

 

A grande preocupação não é com a capacidade de fornecimento atual, mas com a projeção para os próximos meses se mantida a estiagem. Reunião que contará com a participação da Agência Nacional de Águas (ANA), Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), Sabesp e comitês das bacias do Alto Tietê e dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PDJ) vai avaliar o uso do "volume morto" (reserva de fundo dos reservatórios) do manancial. Os laudos apresentados simulam a "vida útil" do Cantareira em diferentes situações e serão apresentados para definição do governador Geraldo Alckmin (PSDB).

A apreensão é crescente, pois o volume de chuvas previstas para este mês não estão ocorrendo e, historicamente, quando o verão é seco a estiagem costuma se agravar no outono e inverno.

Neste cenário, a Sabesp vai investir R$ 4,7 milhões em um serviço de bombardeamento de nuvens para a indução de chuvas artificiais na região do Cantareira pelos próximos dois anos.

Veja também