TCE MAIO
(67) 99826-0686

Sectei inaugura horta permanente no piso térreo do Memorial da Cultura Apolônio de Carvalho

O local possui desde plantas não convencionais como ora-pro-nóbis, inhame, capuchinha, vinagreira, até frutíferas exóticas como jabuticabeiras

21 OUT 2016
Sectei
14h40min
Foto: Sectei

Seguindo o tema “Ciência Alimentando o Brasil”, da Semana Nacional da Ciência e Tecnologia (SNCT), a Secretaria de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação (Sectei) criou uma horta de temperos, hortaliças e verduras no piso térreo do Memorial da Cultura e Cidadania Apolônio de Carvalho, principal local onde se passa a SNCT em Mato Grosso do Sul.

Utilizando o sistema de permacultura, a ideia é divulgar a consciência individual e coletiva de impacto ambiental, resgatando a dignidade de seres humanos e sua convivência racional com a natureza quase perdida ao longo do tempo. “A natureza afeta o cotidiano das pessoas, houve até quem se irritasse com a terra que caiu no chão durante a locomoção mas, depois de ver o resultado, as plantas lindas e cheias de vida, um verdadeiro jardim com aromas, cheiros e sabores, a opinião e a energia mudam na hora”, contou a historiadora da Gerência de Patrimônio Histórico e Cultural (GPHC) da Fundação de Cultura do Mato Grosso do Sul (FCMS), Evanize de Barros Lima, principal idealizadora do projeto.

O local possui desde plantas não convencionais como ora-pro-nóbis, inhame, capuchinha, vinagreira, até frutíferas exóticas como jabuticabeiras, mangueiras e pé de caju. A produção da horta contou com o apoio de técnicos do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR/MS) e outros parceiros que colaboraram no sistema de adubagem, transporte de três caçambas de terra e outras funções.  A irrigação é programada por gotejamento com intervalo de seis em seis horas, além de possuir um medidor de pressão que controla a água por sensor.

O sistema utilizado é chamado espiral, que favorece a incidência de luz solar sobre a vegetação, além de um calculado reservatório de água e irrigação automatizada por cotejamento, tudo criado de maneira sustentável. “Este sistema imita um microclima, onde as plantas que estão em cima são as mais resistentes ao Sol, portanto protegem as outras plantinhas. Aqui cada espécie de planta está em um local adequado e com um objetivo. Tudo isso faz parte da permacultura e a agroecologia”, explicou Evanize.

Encantado com a beleza natural do local o estudante David Camargo, de 14 anos, atento às explicações da monitora, pretende adaptar a horta de sua casa ao modo que acaba de conhecer. “Minha família já tem o costume de plantar as verduras que comem, nem toda comida que consumimos tem agrotóxicos, mas quero que meu pai conheça esse sistema aqui, pois parece ter um aproveitamento muito maior de espaço e qualidade”, disse o estudante.

O mais importante é que mesmo após a Semana Nacional da Ciência e Tecnologia, a horta continuará sendo cultivada no prédio, pois todo serviço de manutenção necessária, como tirar o mato, colher o que cresceu, adubar e replantar, já foi negociado. Para a reposição das plantas, a Sectei contará com o apoio da Escola Fauze Scaff Gattass Filho, localizada na região oeste de Campo Grande. No local funciona uma comunidade escolar, na qual alunos e pais desenvolvem horta com água da chuva, aliando a questão ambiental ao empreendedorismo.

A SNTC é coordenada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e tem por objetivo aproximar a população da ciência e da tecnologia, realizando atividades de divulgação científica em todo o País. Em Mato Grosso do Sul é realizada pelo Governo do Estado por meio de parcerias e acontece de 19 a 21 de outubro, em praticamente todos os municípios do MS. A visitação é aberta ao público e gratuita.

Veja também