Tribunal de Contas
(67) 99826-0686
Camara - marco

Veja o que abre e fecha neste feriado prolongado

Fique atento

15 NOV 2013
Redação
07h28min
Foto: William Leite

O feriado da Proclamação da República será o 3º em 20 dias para os servidores públicos de Campo Grande. Enquanto os órgãos públicos encerraram o expediente ontem (14), o comércio da Capital funciona normalmente.

As lojas do Centro ficarão abertas neste feriado das 9h às 18h, para atender aos consumidores. As lojas dos shopings Campo Grande, Norte Sul e Bosque dos Ipês também funcionarão em horário normal, das 10h às 22h.

Os supermercados  também abrem em horário normal, tanto os de bairro quanto os hipermercados. As agências bancárias fecham nesta sexta-feira (15) e retornam somente na próxima segunda-feira (18).

Os Correios também não funcionam no feriado, mas, no sábado (16), as agências do Centro e dos shoppings abrem normalmente.

Os serviços de limpeza e coleta de lixo serão executados no final desta semana. Nas UPA’s e nos postos de Saúde 24 horas, o atendimento também será normal.

Dias de descanso - No final do mês passado, a folga foi em 28 de outubro, quando é comemorado o Dia do Servidor Público. E no dia 1º de novembro, véspera de Finados, os funcionários de órgãos estaduais e federais também não trabalharam.

Para os servidores da Prefeitura, o feriado da Proclamação da República será o segundo em menos de 20 dias. Nenhuma unidade municipal abrirá nesta sexta-feira.


Proclamação da República - A Proclamação da República Brasileira foi um levante político-militar ocorrido em 15 de novembro de 1889 que instaurou a forma republicana federativa presidencialista de governo no Brasil, derrubando a monarquia constitucional parlamentarista do Império do Brasil e, por conseguinte, pondo fim à soberania do imperador dom Pedro II. Foi, então, proclamada a República do Brasil.

A proclamação ocorreu na Praça da Aclamação (atual Praça da República), na cidade do Rio de Janeiro, então capital do Império do Brasil, quando um grupo de militares do exército brasileiro, liderados pelo marechal Manuel Deodoro da Fonseca, destituiu o imperador e assumiu o poder no país.

Veja também