Menu
sábado, 16 de janeiro de 2021
In Memoriam

Sentimento de injustiça e pedidos de conforto tomam conta de homenagens à jovem morta pelo ex

Mulher entra para as estatísticas de feminicídios de Mato Grosso do Sul

23 novembro 2020 - 17h00Por Nathalia Pelzl

“Quando uma mulher apanha todas nós somos agredidas também! Quando uma mulher é assassinada, todas nós morremos um pouco por dentro! JUSTIÇA. QUE DESGRAÇA DE LEIS SÃO ESSAS? Milhares de mulheres morrendo todos os dias por esses vermes e nada acontece com eles”, esse é o desabafo de uma amiga, ao prestar última homenagem à Ana Paula Pagani assassinada pelo ex-namorado. 

Aos 28 anos, ela foi assassinada a facadas pelo ex, Maicon Douglas Rodrigues, também de28 anos, na madrugada desta segunda-feira (23), no Conjunto Habitacional Orestinho, residencial Alexander Abrão, em Três Lagoas. 

Ana estava em seu apartamento dormindo quando foi acordada pelo ex-namorado que forçou a entrada. 

A vítima foi agredida e tentou fugir, mas foi atingida por várias perfurações de faça, nas costas, pescoço e peito. Vizinhos escutaram os gritos de socorro da vítima e o assassino gritando, dizendo "eu matei a Paula". 

Ainda nas redes sociais, amigos pediram que Deus conforte o coração dos familiares da vítima. “Que Deus venha conforta os corações. E que a justiça de Deus seja feita”.