Menu
sexta, 23 de fevereiro de 2024 Campo Grande/MS
GOVERNO NOTA PREMIADA FEVEREIRO DE 2024
In Memoriam

Irmã de assassinado em confronto orava pelo irmão: 'Dor imensa por perder você meu caçulinha'

Edileu Ramalho tentou atacar um policial em específico durante a abordagem do Batalhão de Choque em Campo Grande

28 novembro 2023 - 15h00Por Dayane Medina

Familiares de Edileu Ramalho Floriano Junior, de 20 anos, se despedem com tristeza pela morte do rapaz, nesta segunda-feira (27), durante uma abordagem policial, em Campo Grande.

Malboro, como era conhecido, tentou atacar um policial em específico durante a abordagem do Batalhão de Choque, no Jardim Sayonara.

Mesmo tendo passagens e uma vida no mundo das drogas, a dor da perda assola a família do rapaz. 

Pelas redes sociais, o pai, as irmãs e amigos mais próximos puderam expressar o sentimento de luto e deixar mensagem de adeus.

"Dor imensa aqui dentro do meu peito por perder você, meu sangue, meu caçulinha, escreveu a irmã. "Mesmo longe, a maninha orava muito por você. Deus te abraçou, e logo logo vamos nos abraçar", acrescentou.

O pai de Edileu também lamentou a morte do filho. "Que Deus receba você de braços abertos", disse em poucas palavras.

Amigos ainda têm dificuldade para aceitar o que o amigo fez. "Pô meu mano, vai ficar nas lembranças cachorro", despediu.

Malboro era conhecido da polícia por ter certa ficha criminal e ser conhecido por furtos na região. Segundo levantamento feito pela reportagem, o suspeito tinha passagens também por crimes de trânsito, lesão corporal, portar droga para consumo pessoal.

Apesar da pouca idade, ele já estava inserido no mundo do crime e estaria vivendo em uma área conhecida pelo alto consumo de entorpecentes e o comércio de drogas.

Conforme informações do boletim de ocorrência, Edileu tentou atacar um policial em específico durante a abordagem do Batalhão de Choque, que realizava patrulhamento e notaram a casa abandonada, iniciando uma vistoria pela área e cômodos da residência. Ainda no local estava uma senhora, que chegou a conversar com os militares.

O suspeito estava deitado e ao perceber a presença dos militares, pegou uma faca e partiu em direção dos policiais, que revidaram a injusta agressão e o atingiram com tiros para desarmá-lo. Ele chegou a ser socorrido para o UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Santa Mônica, por uma equipe de militares, mas não resistiu e morreu.

A mulher explicou que Malboro chegou no local por volta das 5h da manhã e estava bastante alterado por ser usuário de drogas. A mulher então pediu para que ele se retirasse do local, mas se negou a sair e chegou a ameaçar ela e outras pessoas que estavam no entorno do imóvel abandonado.

Ainda na casa, os militares encontraram um simulacro. A Polícia Civil e a Polícia Científica estiveram no local para realizar os procedimentos de praxe.