(67) 99826-0686
Gov - Agosto Lilas 09 a 24/08

Paulo Pagni, baterista da banda RPM, morre aos 61 anos

Banda confirmou a notícia do falecimento do músico nas redes sociais do grupo. Causa da morte não foi divulgada

2 JUN 2019
Da redação/G1
13h59min
Foto: Reprodução/G1

Paulo Pagni, baterista da banda RPM, morreu neste sábado (2), aos 61 anos. A informação foi confirmada através de um comunicado publicado na rede social oficial do grupo. “Infelizmente temos a tristeza de anunciar o falecimento do nosso querido e eterno baterista, Paulo Antônio Figueiredo Pagni, o P.A. Nosso irmão partiu poucos momentos atrás, mas seu legado será eternamente lembrado. Pedimos a compreensão de todos nesse momento de dor e boas vibrações para que sua passagem seja em paz e com muita luz”.

Não foi informada a causa da morte do músico, que integra a banda RPM desde 1985. O músico completou 61 anos no sábado (1). No mesmo dia, Paulo Ricardo, ex-vocalista do RPM, falou que o músico sofria de Fibrose Pulmonar. O cantor ainda explicou um pouco mais da doença em seu post.

"Eis aqui o motivo da internação do PA: Fibrose pulmonar é uma doença respiratória crônica e progressiva caracterizada pela formação de excessivo tecido conectivo (fibrose), engrossando as paredes dos tecidos pulmonares. Ocorre quando o tecido pulmonar é danificado e forma cicatrizes, endurecendo e prejudicando a elasticidade e troca gasosa", escreveu o cantor. Logo após o anúncio da morte de Pagni, Paulo Ricardo apagou o post.

O RPM fez grande sucesso na década de 1980, com sucessos como “Louras Geladas”, “Olhar43”, “Rádio Pirata”, entre outros hits. A banda se separou diversas vezes ao longo dos anos. Em 2019, o grupo anunciou uma nova turnê, desta vez, sem Paulo Ricardo. Na ocasião, foi anunciada a presença de dois vocalistas: Dioy Pallon, que também tocava baixo, e o guitarrista Fernando Deluqui. O tecladista Luiz Schiavon, um dos fundadores do grupo, completava o time.

Veja também